5 dicas para prevenir as doenças respiratórias infantis

Em virtude de a imunidade da criança ainda ser muito imatura, elas ficam mais propícias a adquirirem problemas respiratórios. Apesar de no outono e no inverno as chances de se obter doenças respiratórias infantis aumentarem, porque nessa época do ano as bactérias e vírus se proliferam rapidamente, elas podem incomodar as crianças durante todo o ano. No entanto, é possível reduzir e combater essas doenças com alguns cuidados básicos.

Por isso, para você que se preocupa com a saúde e o bem-estar dos seus filhos, separamos algumas dicas para prevenir as doenças respiratórias infantis. Confira!

1. Entenda as principais doenças respiratórias infantis

Crianças que frequentam berçários, creches e escolas estão mais vulneráveis à transmissão dos vírus e bactérias, devido à facilidade de contágio nesses ambientes.

É importante saber quais são as doenças respiratórias mais comuns, para que você possa saber como preveni-las e, caso necessário, identificá-las para não deixar de buscar ajuda médica.

Pneumonia

A pneumonia é uma infecção no pulmão, que produz sintomas semelhantes ao da gripe, porém que pioram com o passar do tempo. Seus principais sintomas são falta de apetite, cansaço, dificuldade para respirar, tosse com catarro e febre acima dos 38º.

A pneumonia tem cura e pode ser tratada com repouso, remédios para baixar a febre, antibióticos e consumo de líquidos.

Resfriado

É uma infecção respiratória que provoca alta congestão nasal, inflamação na garganta, rinorreia (corrimento nasal), tosse e, em alguns casos, febre. É importante saber que esses sintomas podem durar até duas semanas, mas não hesite em procurar um pediatra, principalmente se os sintomas continuarem após as duas semanas.

Para tratar o resfriado, é necessário a ingestão de bastantes líquidos e o uso de analgésicos e antitérmicos, somente quando prescritos por um médico.

Amigdalite

As amígdalas são aquelas duas bolinhas que ficam no fundo da garganta, a amigdalite consiste na inflamação das amígdalas. Apesar de ser muito frequente em crianças a partir do primeiro ano de idade, nem toda dor de garganta é amigdalite. Os sintomas incluem febre alta e calafrios, dores contínuas na garganta, dores de ouvido, mau hálito, ronco, nódulos inchados no pescoço e maxilar, dores de cabeça e baba.

Hoje em dia, a intervenção cirúrgica só é indicada pelo pediatra em casos extremos, pois eles acreditam que as amígdalas são uma parte importante do sistema de defesa do nosso corpo e, sempre que possível, devem ser preservadas.

Além da medicação prescrita, você pode fazer algumas coisas para melhorar o desconforto, como oferecer bebidas geladas e sorvetes para aliviar a dor e fazer compressa quente no pescoço da criança – jamais use álcool e não deixe que ninguém fume perto do seu filho.

Otite

A otite consiste na inflamação do ouvido, seus principais sintomas são perda no apetite, pois a dor de ouvido pode fazer com que doa na hora de mastigar, secreção, cheiro ruim, dificuldade para ouvir sons baixos e problemas de equilíbrio. É interessante também você observar se a criança fica mexendo demais na orelha, se ela tem inquietação e se sente dificuldade para dormir, porque, ao deitar, a dor no ouvido piora.

O tratamento para otites, geralmente, é realizado com antibióticos. Caso as infecções persistam, você deve procurar um otorrinolaringologista que irá procurar outros tipos de tratamento.

Sinusite

É uma inflamação da mucosa das cavidades ósseas na região de nariz, olhos e maçãs do rosto. Os sintomas são febre, coriza, dores musculares, perda de apetite, obstrução nasal e tosse.

A sinusite viral pode ser tratada com descongestionantes e analgésicos, e os sintomas desaparecem em até dez dias, e a sinusite bacteriana deve ser tratada com antibióticos prescritos pelo pediatra. Existe também a sinusite fúndiga, que pode ser tratada com medicamentos e até procedimentos cirúrgicos, por ser considerada mais grave.

Rinite

É a inflamação da mucosa que reveste as partes internas do nariz e produz coceiras na garganta e nos olhos, espirros , obstrução nasal e, em alguns casos, perda do olfato.

Para poder tratá-la, é necessário descobrir que tipo de rinite a criança possui em consulta com o pediatra, e assim afastá-la dos agentes possíveis causadores da alergia, os quais podem ser: pólen, mudanças bruscas na temperatura, umidade, cheiro forte, fumaça de cigarro, pelos de animais, etc.

Bronquite

É a inflamação dos brônquios, as principais vias respiratórias que vão para o pulmão, produz muita expectoração e tosse.

Para aliviar os sintomas, é necessário que a criança descanse bastante e tome muito líquidos, se os sintomas não melhorarem, o pediatra poderá receitar antibióticos e tratamento por inalação para desobstruir as vias respiratórias.

Asma

A asma infantil é mais preocupante, pois é uma doença crônica, na qual as vias aéreas ficam inflamadas. Na medida em que qualquer inflamação pode impedir a passagem do ar, ela torna-se mais prejudicial.

O tratamento deve ser feito somente com um médico, pois só ele saberá receitar os medicamentos corretos e o tratamento mais adequado.

2. Mantenha a criança em ambientes limpos e arejados

Independente do clima estar frio ou quente, é indispensável que a sua casa seja um ambiente limpo e arejado, para que não haja risco da contração de alguma doença respiratória ou outras que podem trazer sérios riscos à saúde do seu filho, como a meningite. Desse modo, evite lugares muito fechados e aglomerados.

3. Mantenha a vacinação em dia

Um dos fortes combatentes contra as doenças respiratórias infantis é a vacinação, pois com a vacina o sistema imunológico da criança pode se fortalecer e ter mais condições de enfrentar as infecções que surjam

4. Consulte um pediatra regularmente

Somente um pediatra poderá prescrever medicação e indicar tratamento para as doenças respiratórias. É importante ressaltar que um tratamento inadequado para as doenças respiratórias pode trazer sérias consequências para a saúde da criança. Por isso, não deixe de marcar uma consulta caso suspeite que a criança esteja doente.

5. Mantenha uma alimentação saudável e balanceada

Manter uma alimentação saudável é essencial para o fortalecimento da imunidade da criança. Ingerir alimentos ricos em vitamina A, B, C, D e E ajudam a ter dentes saudáveis, uma boa visão e os músculos em boas condições.

Seguindo essas dicas, você poderá prevenir as doenças respiratórias infantis, fazendo que seu filho cresça com uma imunidade forte e saudável. Saber quando uma criança vai ficar doente é impossível, por isso a prevenção é muito importante. Ainda assim, você precisa estar preparado para qualquer situação emergencial, e, para isso, é interessante que você possa adquirir um plano de saúde de qualidade e com um preço acessível, para que os gastos com medicação e consultas emergenciais não venha a ser motivos de preocupação para você. Desse modo, invista na saúde e no bem-estar da sua família.

Gostou das nossas dicas? Então confira nosso artigo sobre as 5 atitudes físicas que ajudam a controlas as doenças respiratórias das crianças.

Gostou desta matéria?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *