Alimentação infantil: como comer sem gastar muito para isso?

Os filhos são a coisa mais importante para uma mãe. Por causa disso a saúde do pequeno sempre vem em primeiro lugar e oferecer uma alimentação saudável é a base para que o sistema imune se fortaleça, evitando doenças e também para um desenvolvimento sadio físico e mental da criança. Porém, ao se falar em alimentação saudável, logo se vem a cabeça que é necessário um gasto enorme mensalmente. A seguir você vai conhecer dicas de como oferecer uma alimentação infantil saudável sem gastar muito. Confira!

Alimentos orgânicos

A alimentação orgânica é aquela livre de agrotóxicos e produtos químicos. Por possuir uma produção em pequena escala, acaba saindo mais caro que os alimentos comuns. Porém, é possível comer produtos orgânicos sem gastar muito.

Opte sempre pelas frutas, verduras e hortaliças da época e também dê preferência pelas frutas nacionais. Você também pode fazer uma troca inteligente mudando apenas os alimentos que levam maior quantidade de agrotóxicos como as hortaliças.

Sem desperdício

Praticamente tudo o que se prepara na cozinha pode ser reutilizado e se transformar num outro prato muito saboroso. Por exemplo, sobrou um pouco de feijão na panela? Não jogue fora! Você pode bater no liquidificador e fazer uma deliciosa sopa de feijão. E o arroz? Com um pouco de carne desfiada, temperos, farinha de trigo e de rosca é possível fazer deliciosos bolinhos de arroz assados para o jantar. Você só precisa de um pouco de criatividade.

Prefira comprar carne, fruta, verdura e hortaliça na feira

Muitas pessoas preferem fazer todas as compras no supermercado para não precisar ir novamente à feira livre para comprar outros alimentos. Pois saiba que eles são muito mais baratos fora dos supermercados e também mais saudáveis já que são mais frescos.

Você também pode encontrar um bom feirante que venda todo o tipo de carne, inclusive para comprar peixes. Os produtos vendidos no supermercado são mais caros porque cobram o valor do estacionamento, do ar-condicionado, de vários funcionários, entre outros fatores que encarecem os alimentos.

Faça tudo em casa

Hoje o que as pessoas mais buscam é praticidade para polpar o tempo. O problema é que ser prático pode acabar com uma alimentação infantil saudável.

Os caldos e temperos prontos possuem muitos agentes conservantes e corantes que não fazem bem para a nossa saúde e ainda sai mais caro do que fazer em casa. Você pode deixar tudo pronto no congelador nos finais de semana para não perder tempo nos outros dias.

Coma vísceras

Esse é um bom momento para introduzir novos alimentos no prato da criança e fazer com que eles gostem. Apesar de muita gente torcer o nariz, as vísceras são muito nutritivas, mas baratas que as carnes e se bem preparadas podem ser muito saborosas.

O fígado, por exemplo, é uma ótima opção para ser servida. Este alimento é excelente para combater anemias sendo muito necessário, especialmente para as crianças que não comem muitas verduras e frutas. É facilmente encontrado e é possível fazer uma diversidade de receitas com ele como, por exemplo, um hambúrguer de fígado.

Os lanches

As crianças amam salgadinhos e biscoitos recheados, mas eles custam caro e são uma péssima opção. Possuem pouco valor nutritivo e como não alimenta da maneira correta, rapidamente o pequeno vai querer comer de novo.

Ótimas opções para os lanches são as frutas, os sucos, as vitaminas e também os sanduíches naturais que podem ser cortados em formatos divertidos. Isso também fará com que a criança crie o hábito de comer esses alimentos levando-o para a idade adulta.

A merenda da escola

Algumas escolas possuem cantinas que vendem lanches. O problema é que eles não são os mais recomendados para as crianças. Vendem salgados como o sonho que é frito e possui muito carboidrato e mesmo os assados não têm muito a oferecer. Também há muitos docinhos, tortas, refrigerantes e outros alimentos pouco nutritivos.

O melhor a fazer é levar o lanche de casa (essa dica também vale para os adultos) evitando comprar alimentos que não fazem bem à saúde. Levando a própria merenda não é preciso levar dinheiro. Algumas instituições de ensino possuem um local para guardar a lancheira das crianças e preservar os alimentos até a hora correta.

Frequência das compras

Observar de quanto em quanto tempo há necessidade de comprar o mesmo alimento é importante na hora de economizar nas compras. Fazê-las de 15 em 15 dias é um bom período entre uma compra e outra para os alimentos não perecíveis como o feijão e o arroz.

Já para os perecíveis como os legumes, as frutas e as hortaliças o ideal é que as compras sejam realizadas, no mínimo, 1 vez por semana. Como são alimentos que estragam facilmente não devem ser comprados em grande quantidade para não passar muitos dias na despensa.

Faça uma lista

Em qualquer área da sua vida ter organização é muito importante para economizar tempo e dinheiro. Ter uma lista em mãos na hora de fazer as compras é indispensável se a ideia é economizar. É uma maneira de não comprar nada a mais do que o necessário, principalmente aqueles alimentos que as crianças adoram, mas que não são nutritivos.

Não faça compras com a criança por perto

Você está pronta para colocar no carrinho apenas o que tem na lista até que o seu filho vê aqueles belos pacotes de salgadinhos, biscoitos, chocolates e todas as outras delícias. Ele vai ser insistente e pedir muito para que você compre para ele, mas você sabe que isso não faz parte de uma alimentação infantil saudável.

Existem algumas crianças que fazem até mesmo uma “cena” no local, deixando os pais constrangidos. Se você não consegue lidar bem com esse tipo de situação e acaba cedendo, o melhor a fazer é não levar a criança para as compras.

Insira verduras e legumes na alimentação

Incentivar as crianças a comer frutas não é tão difícil, afinal elas possuem sabor adocicado naturalmente. Mas, na hora de comer as verduras e legumes tem muita criança que torce o nariz. Nesse momento, ser criativa é fundamental. Cortá-los em forma de estrela, coração, bonequinhos e outros vai ajudar na hora da refeição.

Os sanduíches também podem seguir o mesmo perfil. Os moldes para cortes não são caros e ainda vão ajudar às crianças a ter uma alimentação melhor.

Comer muito não faz parte de uma boa alimentação infantil

Tome cuidado com a quantidade de comida que o seu filho come. A obesidade infantil vem crescendo e aumentando as estatísticas. Há muito tempo, uma criança gorda era sinônimo de saúde, hoje sabemos que isso pode levar a doenças futuras.

Agora que você conhece dicas de como fazer as crianças comerem de maneira saudável sem gastar muito, comprar os alimentos certos será mais fácil. Lembre-se que ao cuidar da alimentação do seu filho quando pequeno, você estará cuidando de sua saúde no futuro.

O que achou das nossas dicas? Coloque-as em prática e compartilhe suas opiniões e dúvidas nos comentários.

Alimentação infantil: como comer sem gastar muito para isso?
5 (100%) 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *