Câncer de mama. O diagnóstico precoce é fundamental

Temido especialmente por quem já passou dos 40 anos, o câncer de mama é o tipo de câncer que mais ataca as mulheres e é o segundo mais frequente no mundo. Só no Brasil foram registrados mais de 52 mil casos, segundo dados da Organização Mundial de Saúde.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) as taxas de mortalidade do câncer de manda ainda é alta, isso porque provavelmente quando a doença é diagnosticada ela já está avançada. Por isso, é preciso prevenir fazendo o autoexame todo mês (principalmente após o período menstrual) e a mamografia regularmente.

A polêmica da importância do autoexame  

Existe certa polêmica entre os médicos a respeito da necessidade do autoexame mensal das mamas. Apesar de ter sido considerado importante na luta contra a doença, estudos recentes mostraram que ele não garante sua efetividade como método de detecção precoce.

Essa polêmica se dá porque só é possível sentir uma sedimentação no seio quando ela já tem 2 centímetros. Ainda assim, 40% dos casos que chegam aos hospitais são descobertos pela própria paciente. E, é por isso, que os médicos continuam achando essencial que todas as mulheres, a partir dos 18 anos, apalpem as mamas principalmente logo após o período menstrual.

Quem toca os seios com regularidade sabe exatamente quando ele apresenta qualquer tipo de anormalidade, mas não espere isso acontecer para procurar um médico.

Quais são os sinais que podem indicar o câncer de mama? Um nódulo ou Caroços, textura da mama diferente do habitual, além de mamilos invertidos ou com secreção.

A mamografia regular aumenta as chances de cura

Fazer o exame de mamografia regularmente é uma das formas mais eficazes de detectar o câncer de mama precocemente e permite que a doença seja diagnósticada mais cedo e haja mais chance de cura.

A idade em que se começa essa bateria de exames pode variar, principalmente, conforme o histórico familiar da mulher. Uma nova pesquisa, feita pela Harvard Medical School (EUA), revela uma taxa de mortalidade significativa entre mulheres com menos de 50 anos que se recusaram a fazer mamografias regulares, já que a recomendação geral é fazer o exame a partir dessa idade. Devido a isso, os médicos vem indicando fazer a mamografia periodicamente a partir dos 18 anos para que a doença seja diagnóstica mais cedo e aumentar a chance de cura.

Mulheres, fiquem atentas a qualquer alteração nos seios e não deixem de fazer a mamografia regularmente.

Você já tem um Plano de Saúde?

Adquira o plano de Saúde Hapvida para sua família, garanta a saúde e bem-estar de quem você ama, eles merecem esse cuidado. Deixe seu nome e telefone que nós ligamos para você.

SOLICITAR PROPOSTA

Fonte: mulhercomsaude.com.br
Fonte: www.blogdasaude.com.br
Fonte: OMS
Câncer de mama. O diagnóstico precoce é fundamental
5 (100%) 9

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *