Como escolher um plano de saúde?

Todo mundo sabe que a principal preocupação de uma mãe é garantir que seus filhos tenham saúde. Para isso, é importante que você saiba como escolher um plano de saúde que atenda às suas principais necessidades, mas de um jeito que caiba no orçamento.

Portanto, além de dispor de boas condições de alimentação e de um ambiente saudável para seu filho, também é essencial que você possa levá-lo para uma consulta médica quando precisar e oferecer a ele um tratamento adequado quando for necessário.

Como um meio de ajudá-la a escolher um plano de saúde que atenda todos esses pontos, preparamos esse guia. Acompanhe!

Regularidade da empresa junto a ANS

A primeira coisa que você deve confirmar é se a empresa que oferece o plano de saúde encontra-se em situação regular junto à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o órgão federal que regula os planos de saúde.

Você pode fazer isso checando o registro da empresa no site da ANS, na página Consultar dados e planos da operadora. Faça uso, para isso, digitando um dos seguintes dados da empresa do plano de saúde:

Registro na ANS;
Razão social;
CNPJ;
Nome fantasia.
Um plano de saúde com bom nome na sua região

Nada pode ser melhor referência do que a satisfação dos usuários. Por isso, procure consultar seus amigos, parentes e colegas sobre quais são os planos com melhor atendimento na cidade. A realidade dos clientes é a melhor referência.

Quando estiver pesquisando, procure por pessoas em situações parecidas com a sua – em termos de idade, filhos etc. – para conhecer as soluções que elas encontraram e como avaliam o plano que estão utilizando.

Você também pode utilizar o site da ANS, cuja página Informações e avaliações de operadoras, fornece inúmeros esclarecimentos sobre a situação e o desempenho das operadoras de planos de saúde no Brasil.

A importância do plano familiar

Existem três tipos básicos de planos de saúde:

Individual
Empresarial
Familiar
O plano individual é mais indicado para pessoas que não possuem dependentes, enquanto o plano empresarial é coletivo e oferecido pelas empresas aos seus funcionários. Tende a ser um plano de alcance mais básico e, geralmente, mais restritivo quanto às instalações para internação.

O plano familiar, como o próprio nome diz, é voltado para todos os membros de uma família. Exige, portanto, que os contratantes tenham vínculo de parentesco entre si: ascendentes, cônjuges ou companheiros.

No plano familiar existe um titular, que é a pessoa responsável pelas obrigações referentes ao contrato. Os demais são seus dependentes, componentes do núcleo familiar. Os filhos, por exemplo, são dependentes do titular.

Essa é uma opção interessante para a família, que poderá dispor de um atendimento médico para todos, sem as limitações do plano empresarial e sem os custos mais elevados do plano individual.

Coberturas e carências do plano

Você deve verificar com clareza as coberturas garantidas pelo seu plano, assim como as carências existentes para cada serviço oferecido (consulta, exame, parto etc.). Veja alguns aspectos importantes que você deve observar.

Coberturas

A cobertura do seu plano de saúde abrange o conjunto de itens (serviços, procedimentos médicos, procedimentos hospitalares, procedimentos odontológicos etc.) que o serviço cobre. Periodicamente a ANS atualiza, também, um rol de coberturas obrigatórias que os planos de saúde devem oferecer. Atenção para isso!

Avalie bem as coberturas oferecidas pelo plano, para que você possa optar pelo mais adequado à sua família.

Carências

A carência é o prazo que você precisa aguardar para usufruir de alguns dos benefícios previstos no seu plano de saúde. Todas as carências devem estar explicitadas no contrato.

Durante esse tempo, você não poderá fazer usos daqueles serviços especificados nas respectivas carências. Basta aguardar o prazo estipulado e já poderá acessar todas as funções.

A lei define alguns prazos máximos de carência:

Situações de urgência e emergência: 24 horas
Consultas, exames, internações e cirurgias: 180 dias
Parto a partir da 38a. semana de gestação: 300 dias
Doenças ou lesões preexistentes: 24 meses
Como são limites máximos impostos pela legislação, as operadoras poderão definir, para esses casos, prazos menores que os indicados. Nesse caso, essa é uma excelente vantagem ao buscar um plano de saúde.

Valor da mensalidade e forma de pagamento

Não existe um padrão de preço e, ao mesmo tempo, a variação das modalidades de planos oferecidas pelo mercado são muito grandes. Por isso, é bastante recomendável que você procure entre aqueles que oferecem o que você e sua família buscam – inclusive com os melhores preços.

Você deve ficar atenta, pois existem, basicamente, duas formas de pagamento: mensalidade limpa, isto é, apenas um determinado valor mensal; e mensalidade somada a taxas específicas para cada procedimento ou serviço. Escolha o modelo que for mais adequado às suas expectativas.

Com a mensalidade limpa você paga um pouco a mais, porém é só isso. Na outra modalidade, você paga um pouco menos, mas toda vez que precisar do plano (consulta, exame etc.) pagará um valor a mais para cada serviço (cada um tem um valor próprio).

Abrangência do plano

A abrangência do plano de saúde refere-se à região geográfica na qual a operadora deve atender o beneficiário do plano com os serviços incluídos na oferta.

Para fins de definição da modalidade de plano que você vai contratar, leve em consideração que, caso os membros da família não façam viagens com frequência, não há necessidade de abrangência nacional. Nesse caso, opte pelo regional.

Normalmente, adota-se a própria cidade onde se vive e municípios vizinhos, como referência para escolher a abrangência oferecida pelos planos.

Qualidade da rede de atendimento

A qualidade da rede conveniada refere-se, não apenas à qualidade propriamente dos serviços prestados, mas também à sua localização.

É muito importante, sobretudo quando se tratar de mães jovens que trabalham, identificar consultórios, clínicas, laboratórios e hospitais o mais próximo possível, a fim de facilitar os deslocamentos – quando necessários.

Um plano de saúde cuja operadora está atenta à qualidade de sua rede conveniada, não pode permitir, por exemplo, que determinado consultório médico não atenda a um beneficiário qualquer.

Mas, e você, leitora? Já sabia como escolher um plano de saúde? Qual a sua impressão sobre o assunto? Deixe aqui o seu comentário. Ele é muito importante para nós!

Como escolher um plano de saúde?
5 (100%) 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *