A dor de ouvido em crianças é um problema que nem sempre é identificado logo de cara, pois quase sempre é sintoma recorrente de outro problema de saúde como de gripe ou uma infecção na garganta e quando não sabem dizer onde sentem o incômodo e a dor, dificulta ainda mais o diagnóstico pelos pais.

O problema é mais comum em crianças do que em adultos, pode ser constante e se manifestar como pontadas.

No post de hoje você vai saber como evitar dor de ouvido nas crianças.

O que causa a dor de ouvido nas crianças?

A dor de ouvido, também chamada de otite, é mais comum em crianças do que em adultos, pode surgir como uma sensação de queimação, uma dor afiada ou maçante, como também pode afetar ambos os ouvidos de uma vez ou apenas um, causando vários desconfortos.

a otite é a segunda doença infecciosa que mais afeta os bebês, abaixo apenas da infecção viral das vias aéreas como resfriados ou viroses.

As infecções de ouvido costumam ser dolorosas devido à inflamação e acúmulo de secreção no ouvido.

A Otite é uma inflamação bem comum na infância principalmente até os 3 anos de idade, que é uma fase onde os pequenos costumam sofrer diversas vezes com gripes, resfriados e acúmulo de catarro causadores de infecções.

Os vírus e bactérias existentes neste catarro, podem chegar ao ouvido, produz pus e fluidos que irão pressionar o tímpano causando dor excessiva, mau cheiro e em alguns casos até a perda temporário da audição da criança.

O diagnóstico deve ser feito por um pediatra através da avaliação clínica, onde vias respiratórias, interior do ouvido e garganta devem ser analisadas. Normalmente sintomas como coceira no ouvido, odor forte saindo juntamente de secreção aparente são sinais de uma possível inflamação e devem ser informadas ao pediatra o quanto antes.

Como você já sabe, o principal fator de risco é a idade, sendo as crianças pequenas as principais vítimas. Conforme a criança cresce, as otites vão se tornando mais infrequentes, havendo novamente uma alta na incidência entre os 4 e 5 anos de idade.

Após o surgimento dos dentes definitivos a taxa de otite cai drasticamente. Adultos também podem ter otite, mas é algo pouco comum.

Veja os principais fatores e riscos para a otite média.

  • Traumas, tais como limpeza excessiva (ou agressiva) do ouvido, não só removem cerume, mas também podem criar escoriações ao longo da fina camada de pele no canal auditivo, permitindo que bactérias tenham acesso aos tecidos mais profundos. Além disso, parte de um cotonete pode soltar-se no canal do ouvido; esses resquícios podem causar uma reação cutânea grave, levando à infecção.
  • O uso de cotonete empurra o cerume para dentro do canal mais do que o remove. Esse cerume comprimido pode agir como uma rolha e só sai com o auxílio de um otorrinolaringologista.
  • Ausência do aleitamento materno.
  • Mamar na mamadeira, principalmente na posição deitada.
  • Fumo passivo (pais que fumam perto da criança),
  • História familiar de otite;
  • Infecções respiratórias de repetição.
  • Refluxo gastroesofágico.
  • Período de inverno.
  • Doenças congênitas, como fenda palatina ou síndrome de Down.
  • Sistema imunológico enfraquecido.
  • Alergias respiratórias.
  • Baixa qualidade do ar.
  • Crianças que ficam em creches/escolas, uma vez que convivem com muitas outras crianças.

Os sintomas da dor de ouvido nas crianças.

Dificuldade para dormir e perda do apetite também são sinais de dor de ouvido, já que pela dor constante é impossibilitado de se deitar, mastigar, mamar e se alimentar seja qual for a forma. Febre e irritabilidade, além da criança ficar esfregando ou colocando a mão diversas vezes é sinal de incômodo.

Veja os sintomas mais comuns da dor de ouvido nas crianças.

  • Dor (otalgia).
  • Febre (geralmente em casos mais graves).
  • Perda auditiva temporária.
  • Choro.
  • Perda de apetite.
  • Problemas para dormir.
  • Vômito.
  • Diarréia.
  • Irritabilidade.
  • Secreção de líquido do ouvido (otorreia), pode ou não estar presente.

Procure um médico urgente se a criança desenvolver uma rigidez no pescoço, estiver muito cansado ou irritado.

Outros sinais de alerta incluem:

  • Vertigem.
  • Dor de cabeça muito forte.
  • Inchaço ao redor do ouvido.
  • Fraqueza nos músculos faciais.
  • Dor muito forte que para de repente pode ser um sinal de tímpano rompido.

Tratamento para dor de ouvido nas crianças.

Após consulta e avaliação médica, o tratamento deve ser iniciado imediatamente para que a dor e o incômodo sejam aliviados o mais rápido possível. O tratamento basicamente é realizado através de antibióticos que irão combater a presença das bactérias infecciosas.

O uso de analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios pode fazer parte do tratamento que deverão ser seguidos à risca nos dias solicitados pelo médico, mesmo que os sintomas desapareçam antes.  Além dos remédios que devem ser aplicados diretamente na região do ouvido, métodos de alívio da dor também são indicados, como é o caso da compressa quente.

Um pano com água morna, devidamente torcido pode ser colocado sobre o ouvido do  bebê ou criança, principalmente antes da hora de dormir. Pode-se utilizar também bolsas de gel para a realização deste procedimento que traz alívio imediato e causa relaxamento da criança.

A alimentação também é muito importante, já que é através dela que a criança se manterá nutrida e hidratada. Por isso deve-se oferecer muito líquido e procurar oferecer alimentos mais pastosos que facilitem a ingestão já que o incômodo dificulta a engolir e a mastigar.

Como prevenir a dor de ouvido nas crianças.

Algumas orientações para evitar o surgimento da dor de ouvido:

  • Evitar o uso de cotonetes que podem empurrar a cera para o interior do ouvido ou mesmo perfurar o tímpano.
  • Usar protetores de ouvido quando for nadar.
  • Limpar com frequência as secreções nasais ou da garganta para que não se acumulem e subam para o ouvido.
  • Em caso de resfriados, gripes e rinites, lavar as narinas com soro fisiológico várias vezes ao dia.
  • Nunca amamentar um bebê deitado (sempre sentado ou recostado), pois essa posição facilita que o leite entre pela tuba auditiva.
  • Não introduzir objetos no ouvido para limpá-lo ou coçá-lo.
  • Enxugar bem o ouvido após o banho.
  • Não fumar próximo às crianças.
  • Controlar doenças alérgicas e inflamatórias que acometem as fossas nasais.
  • Tratar o refluxo gastroesofágico.
  • Vacinas contra o Haemophilus influenzae e o Streptococcus pneumoniae protegem as crianças de uma série de infecções menores, entre elas a otite e a amidalite. Especialmente a vacina contra o pneumococo, consegue reduzir a incidência de otite em 6% ou 7% da população infantil.

Essas são algumas dicas para evitar a dor de ouvido nas crianças, porém, é importante lembrar que ao surgir qualquer sintoma o pediatra deve ser consultado, e poder contar com um atendimento médico de qualidade faz toda diferença para garantir mais saúde para seu filho.

Como evitar dor de ouvido nas crianças
Gostou desta matéria?