Conheça algumas complicações durante a gravidez

Algumas complicações durante a gravidez podem acontecer com qualquer mulher.

Seja por falta de cuidados, fatores genéticos ou doenças que podem desenvolver, toda mulher pode apresentar diversas complicações durante a gravidez.

As complicações durante a gravidez pode se enquadrar em vários casos.

Normalmente uma gravidez tranquila é aquela em que a gestante passa por ela sem maiores problemas, ausência de aumento de pressão, quedas, pré-eclâmpsia e vários outros problemas.

Existem casos também em que o pré-natal deve ser reforçado porque a gestante pode apresentar problemas de saúde e o o bebê ter problemas detectados através de exames como a ultrassom por exemplo.

As complicações durante a gravidez podem se tornar cada vez mais comuns, tanto pelo fator das mulheres engravidarem mais tardiamente como pelo modo de vida adotado.

Os problemas de saúde podem aparecer mesmo antes da gravidez e já outras mulheres ficarem doentes durante a gestação.

De acordo com essas informações separamos algumas complicações durante a gravidez, suas causas, sintomas e fatores de risco.

Conheça algumas complicações durante a gravidez

 

  • Hipertensão

 

Quando a mulher já apresenta problemas de pressão alta mesmo sem estar gestante, a gravidez se caracteriza de risco.

A DHEG é a forma que a pressão se apresenta elevada durante a gravidez, por isso o pré-natal deve ser acompanhado bem de perto pelo ginecologista obstetra.

A hipertensão é porta de entrada para uma eclampsia ou pré – eclâmpsia.

A pré eclâmpsia é o maior motivo de preocupação dos médicos dentre as complicações durante a gravidez para mulheres hipertensas.

Ela acomete 1 mulher em cada 1500 casos no Brasil.

Por isso exames como de proteinúria, uréia, potássio e outros devem fazer parte dos exames de rotina do pré natal.

Existem 4 tipos de hipertensão que podem ocorrer durante a gravidez:

Hipertensão crônica:  é a hipertensão arterial que a paciente já tinha antes de ficar grávida e continuará tendo durante e depois da gestação.

Hipertensão gestacional: é a hipertensão que aparece somente depois da 20ª semana de gestação em mulheres que nunca tiveram pressão arterial alta.

Pré-eclâmpsia: é o surgimento de pressão arterial alta após a 20ª semana de gravidez, associado à perda de proteínas na urina.

Pré-eclâmpsia superposta à hipertensão crônica:  é a pré-eclâmpsia que ocorre em mulheres que já eram previamente hipertensas.

Estar em dia com todas as consultas durante o pré natal é de extrema importância para a mulher manter uma gravidez saudável e garantir a sua saúde e a do seu bebê.

 

  • Pré-eclâmpsia

 

A eclâmpsia e a pré-eclâmpsia são graves complicações durante a gravidez que podem surgir durante a segunda metade da gestação.

Geralmente após as 20 semanas de gravidez o risco de ocorrer uma eclâmpsia ou pré-eclâmpsia é maior.

Em algumas mulheres, a eclâmpsia ou a pré-eclâmpsia podem surgir somente durante o parto ou até mesmo depois que o bebê já tenha nascido.

Embora a maioria das mulheres grávidas afetadas pela pré-eclâmpsia consigam chegar às 37 semanas de gravidez, elas apresentam um risco elevado de complicações, incluindo o risco de mortalidade materna ou fetal.

A pré-eclâmpsia é uma complicação da gravidez que se caracteriza por um quadro de hipertensão arterial que se inicia após 20 semanas de gestação.

Em algumas pacientes, a pré-eclâmpsia também provoca lesão de órgãos importantes, tais como fígado, rins, pulmões e cérebro.

Veja alguns fatores de risco para a pré – eclâmpsia:

– Gravidez em mulheres com idade maior que 40 anos ou menor que 18;

– História familiar de pré-eclâmpsia;

– Pré-eclâmpsia em uma gestação anterior;

– Gravidez múltipla (gêmeos, trigêmeos, etc.);

– Mulheres previamente hipertensas (hipertensão crônica);

– Obesidade;

– Diabetes;

– Doença renal crônica;

– Intervalo de tempo prolongado entre gestações;

– Gestantes com doenças auto-imunes;

– Primeira gestação;

A pré-eclâmpsia ocorre em 5% a 10% das gestações.

75% dos casos são leves e 25% são graves. Pode surgir em qualquer momento da gravidez entre a 20ª semana até alguns dias após o parto.

A hipertensão que surge após a 20ª semana de gestação é o sintoma mais comum.

Porém, para se caracterizar pré-eclâmpsia e não apenas hipertensão gestacional, é preciso que haja também a presença de proteinúria,que é a perda de proteínas na urina

Praticamente toda gestante apresenta edemas (inchaços), porém, uma piora rápida e súbita dos edemas, principalmente acometendo o rosto e mãos, pode ser um sinal de pré-eclâmpsia.

Como tratar a pré eclâmpsia.

O tratamento definitivo é a indução do parto.

Nem sempre a pré-eclâmpsia ocorre em idades gestacionais que permitam a indução do parto sem prejuízos para o feto.

Por outro lado, a não finalização da gravidez pode trazer consequências sérias para a mãe. A decisão de se induzir o parto ou prolongar a gravidez deve levar em consideração a idade gestacional, a gravidade da pré-eclâmpsia e as condições de saúde mãe e do bebê.

Em alguns casos pode-se indicar o internamento da mãe para um acompanhamento mais próximo da doença, tentando prolongar o parto para o mais próximo possível da 40ª semana de gestação.

Sempre que possível, a preferência é pelo parto normal.

Hipertensão arterial deve ser controlada, porém isso não interfere no curso da doença nem na mortalidade materna/fetal.

É importante lembrar que alguns anti-hipertensivos são contraindicados na gestação.

O controle da pressão arterial na gravidez deve ser feito somente sob orientação do ginecologista-obstetra.

  • Diabetes

A mulher diabética deve fazer o pré-natal para evitar complicações durante a gravidez.

Controlar rigorosamente a glicemia ameniza consideravelmente problemas que podem aparecer com a diabetes durante a gestação.

Mulheres diabéticas podem dar origem a bebês grandes assim como as mulheres que apresentam diabetes gestacional, exclusiva daquela gravidez.

Mas nem toda gravidez de risco é causada por problemas de saúde.

Algumas mulheres podem apresentar complicações durante a gravidez devido a particularidade da situação.

Mulheres que estão à espera de gêmeos, múltiplos, são consideradas gravidez de risco pelos médicos.

Isso porque o útero está sobre uma condição diferenciada além da qual estaria preparado para acontecer.

O útero de uma mulher foi projetado para um bebê por vez, e quando há dois, três e algumas vezes mais fetos, a gestação se torna delicada obrigando ao médico o máximo cuidado com a gestante.

Em todas os aspectos, riscos e fases a mulher deve ter um acompanhamento correto e completo durante toda gestação.

Evitar complicações durante a gravidez com uma alimentação balanceada e seguindo todas as recomendações do ginecologista-obstetra e comparecer a todas as consultas do pré natal garantem uma gestação tranquila para mãe e bebê.

Conheça algumas complicações durante a gravidez
Gostou desta matéria?

  2 comments for “Conheça algumas complicações durante a gravidez

  1. 02/10/2017 at 13:35

    Muito conteudo de qualidade nesse site. Este site está de parabéns. Obrigado por compartilhar. Sucesso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *