Conheça alguns cuidados com a saúde íntima da mulher

Muito se fala a respeito da saúde íntima da mulher: de que maneira ela deve ser feita ou quais os produtos adequados para uma higienização correta. Porém, a rotina conturbada da maioria das mulheres colabora para o descuido com a própria saúde, principalmente quando se trata da saúde íntima. De acordo com o Ministério da Saúde, o câncer do colo do útero é a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil que, por ano faz 4.800 vítimas fatais e apresenta 18.430 novos casos. A prevenção através de exames preventivos e visitas frequentes ao ginecologista são a melhor forma de evitar e prevenir doenças e problemas que podem atingir a saúde íntima da mulher, como infecções graves.

E para retratar sobre esse assunto, separamos algumas dicas que podem ajudar a cuidar melhor da saúde íntima da mulher.

Os cuidados com os produtos utilizados na região íntima.

Na correria do dia a dia é comum encontrar em farmácias e drogarias produtos como lenços umedecidos e sabonetes líquidos, indicados como soluções de higiene rápida para a saúde íntima da mulher, Sabonetes íntimos são boas opções, porém eles não devem ser usados a toda a hora pois também acabam prejudicando a flora vaginal. Além disso, se possível estes sabonetes não devem ser aplicados diretamente na região íntima e devem ser usados em pequena quantidade, sendo recomendado, se possível, colocar o produto na água com que vai se lavar. No caso de lenços umedecidos devem apenas ser usados em casos de necessidade, quando está fora de casa por exemplo, e poucas vezes por dia, pois quando usados em excesso podem provocar secura na vagina e irritações, eliminando a lubrificação natural da pele e prejudicando a saúde íntima da mulher.

É muito importante que a mulher esteja atenta a higiene íntima após o contato sexual evitando doenças e infecções. Logo após o contato íntimo, deve tentar urinar para evitar o surgimento de infecções urinárias e logo em seguida deve lavar abundantemente a região íntima com água e apenas um pouco de sabonete íntimo, e trocar de calcinha ou de protetor diário. Além disso, se a mulher tem o hábito de usar lubrificantes, deve evitar os que são à base de óleo ou de silicone, pois não saem facilmente com água, o pode prejudicar a flora vaginal dificultando a higiene íntima, promovendo a proliferação de fungos e de outros micro-organismos que afetam a saúde íntima da mulher.

Doenças e infecções que atingem a saúde íntima da mulher.

Candidíase: A candidíase vaginal é uma infecção  muito comum na mulher, é causado por fungos que está normalmente presente na flora da região íntima da mulher mas que se desenvolve muito em algumas situações. A candidíase vaginal é mais frequente em grávidas e mulheres com o sistema imune enfraquecido e, algumas das principais causas incluem o uso excessivo de antibióticos ou corticóides, a diabetes ou os maus hábitos de higiene, porque facilitam o crescimento de fungos. A roupa íntima é outro fator que influencia bastante na saúde íntima da mulher, pois roupas íntimas de materiais sintéticos dificultam a transpiração da pele e aumentam acúmulo de suor o que potencia o surgimento de doenças como candidíase e outras infecções vaginais. Uma dica importante é de sempre usar calcinha de algodão, que deve ser trocada diariamente ou depois de se lavar ou de tomar banho.

Infecção urinária: Apesar de ser mais comum em mulheres, a infecção urinária pode causar sintomas como urgência para urinar e dor e ardor durante ou logo após o fim da micção. Entre outros fatores a infecção urinária também é causada por maus hábitos higiênicos como uso contínuo de protetores íntimos e falta de higienização após a relação sexual. Uma dica importante é com o uso e a troca do protetor diário, em casos de corrimento abundante deve ser trocado mais de uma vez por dia, estando sempre atenta à quantidade, cor e cheiro do corrimento para informar o ginecologista. Além disso, sempre que notar alguma alteração na vagina, como um cheiro diferente, corrimento amarelado ou esverdeado, coceira ou ardor, deve – se procurar imediatamente um ginecologista, pois esses podem ser sinais de outras doenças infecciosas que podem atingir a saúde íntima da mulher e que precisam de tratamento.

Vulvite ou Vulvovaginite: são inflamações da parte externa do órgão genital feminino chamado vulva, são provocadas pelas mesmas bactérias que originam a Candidíase e principalmente pela presença de diversos micro-organismos que causam corrimento. A vulvovaginite também pode ser causada pelo uso de produtos alérgicos, como calcinhas de tecido sintético, amaciantes, papel higiênico colorido ou perfumado, sabonetes perfumados e até pelo hábito diário de usar o chuveirinho como ducha vaginal. Uma dica importante é evitar o uso excessivo das duchas vaginais, pois devido à pressão com que a água sai, não deve ser apontada diretamente para a vagina. Nesse caso é recomendável que se use um bidê ou bacia para se lavar, porém se não for possível deve usar a ducha sem nunca apontar diretamente para a região íntima ou introduzir na vagina.

Além de todos esses cuidados é importante ressaltar que a mulher deve estar em dia com as consultas e visitas ao ginecologista, pois além de evitar outras doenças, ter um acompanhamento completo para exames e consultas com um bom ginecologista pode evitar outros transtornos que podem afetar a saúde íntima da mulher.

Conheça alguns cuidados com a saúde íntima da mulher
Gostou desta matéria?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *