Desejo de grávida: existe explicação para o desejo alimentar durante a gestação?

O desejo por comidas diferentes ou a vontade de comer coisas bizarras é um artifício muito usado em filmes e novelas para cenas de humor com personagens grávidas. Enquanto alguns dizem que é uma invenção da mulher, outros correm atrás para garantir que a esposa, a amiga, a filha ou alguma conhecida sacie a vontade incontrolável de ingerir coisas estranhas — ou de fazer combinações gastronômicas que não seriam nada convidativas fora do período da gestação.

Fato é que muitas mulheres manifestam esses desejos e, embora não haja evidências científicas sobre as razões que levam as gestantes a ter apetite por coisas incomuns, alguns médicos defendem que isso pode estar relacionado às mudanças hormonais próprias da gestação ou à carência de nutrientes, além da forte influência de fatores emocionais.

Confira, no nosso artigo de hoje, algumas explicações para o desejo de grávida por alimentos diferentes!

Ação dos hormônios

As intensas variações hormonais pelas quais as mulheres passam durante a gravidez podem alterar seu paladar e olfato. A ação da prolactina e da progesterona é a principal responsável pelas alterações de paladar e do pH da boca das grávidas.

Esses mesmos hormônios podem fazer com que alimentos antes muito queridos se tornem intragáveis — e que outros normalmente desprezados ganhem a preferência da gestante. Os desejos alimentares aparecem mais comumente no início da gestação, que é quando também aparecem os enjoos.

Algumas gestantes têm enjoos tão intensos que chegam a ter a alimentação prejudicada, o que torna o ato de se alimentar a última de suas vontades. Nessa fase é muito comum que as grávidas se sintam atraídas por alimentos que reduzem o mal-estar, como as frutas cítricas e os alimentos gelados, como picolés e sorvetes.

Essa necessidade de alívio pode se manifestar como desejo por alimentos específicos que tenham essas características. Da mesma forma, a mulher pode desenvolver aversão aos alimentos que lhes embrulha o estômago, especialmente os de cheiro mais forte.

Carência de nutrientes

Outra explicação — que gera muitas controvérsias entre médicos e especialistas — para o desejo das grávidas é carência de nutrientes. Alguns defendem que o desejo de comer materiais incomuns como tijolo, terra ou barro, por exemplo, estaria ligado à falta de ferro no organismo da gestante ou a uma tentativa inconsciente de corrigir outras deficiências nutricionais.

Inclusive, a vontade de comer substâncias que não são alimentos tem até nome: picamalácia. Para os que defendem os desejos por alimentos específicos como uma manifestação de falta de nutrientes, a vontade de comer chocolate, por exemplo, estaria ligada à falta de magnésio. Assim, como a de comer carne vermelha se relacionaria com a necessidade de mais proteína.

Fatores emocionais

A gestação é um período em que a mulher fica mais sensível e pode ter alterações bruscas de humor, alternando momentos de alegria com melancolia. Essas reações também são causadas pela ação dos hormônios e pelo próprio fato de se tornar mãe.

Por isso, alguns especialistas defendem que o desejo das grávidas por alimentos específicos tem fortes apelos emocionais, estando relacionados a uma maior necessidade de atenção. Como no geral as grávidas são atendidas por seus companheiros, familiares e amigos em suas demandas, elas se sentem mais acolhidas. Assim, a manifestação de um desejo alimentício seria mais um desejo de carinho do que realmente uma necessidade alimentar.

Como lidar com o desejo de grávida

Se atendidos com moderação, os desejos por doces e alimentos específicos não serão prejudiciais à saúde da gestante ou do bebê. A recomendação é sempre manter uma dieta equilibrada, que atenda às necessidades nutricionais específicas da gestação e que também satisfaçam, sempre que possível, os desejos emocionais da gestante.

Evite assaltar a geladeira de madrugada. Além de prejudicar a qualidade do seu sono, comer fora de hora vai aumentar seus riscos de ganhar mais peso que o recomendado — isso dificulta o retorno à boa forma após o parto.

O ganho excessivo de peso pode trazer sérios riscos para a sua saúde — como o aumento da pressão arterial e do colesterol e o desenvolvimento de diabetes gestacional — e também pode prejudicar a saúde do bebê. Oferecer a ele alimentos baixos em valor nutricional, que pouco ou nada vão agregar ao seu desenvolvimento dentro do útero não é uma boa ideia, concorda?

Procure não relacionar a comida com as suas emoções. Se você está chateada, não busque doces ou alimentos gordurosos para se sentir melhor. Procure se distrair longe da cozinha. Converse com uma amiga, faça um passeio ao ar livre, leia um livro ou faça outra atividade prazerosa. Um abraço será muito mais eficiente e saudável que um prato de batata frita.

Faça pequenas refeições em horários regulares. Isso vai ajudar a manter o nível adequado de glicemia em seu sangue. A queda brusca do açúcar no organismo pode levá-la a desejos estranhos e repentinos por algum alimento ou objeto. Resista bravamente à vontade de comer tijolo, barro, terra ou qualquer outra substância que não seja alimento. Elas podem trazer riscos à sua saúde e à do bebê.

Quando procurar ajuda médica

Embora seja incomum, a síndrome picamalácia — que faz com que a gestante tenha desejo de comer substâncias não alimentícias — pode indicar a falta de algum nutriente. Se a vontade de comer materiais incomuns for persistente e se vier acompanhada de sensação de fraqueza e cansaço extremo é bom falar com o seu obstetra.

Ele poderá verificar as taxas de ferro no seu sangue e, se for necessário, recomendar um suplemento vitamínico. Qualquer alteração mais incomum em seus hábitos alimentares também deve ser relatada ao seu médico. Se você tiver dificuldades em manter uma dieta equilibrada, pode ser necessário o acompanhamento de um nutricionista para ajudá-la a manter a qualidade da sua alimentação.

O desejo de grávida realmente existe, mas nem todas as mulheres terão vontade de comer alimentos estranhos ou combinações exóticas. Cada uma vai reagir de forma particular às ações dos hormônios. No entanto, não há dúvidas de que ter uma alimentação equilibrada é imprescindível para garantir uma gestação tranquila e saudável.

Para continuar lendo sobre o assunto, confira também nosso post sobre como a dieta de mulheres grávidas influencia na saúde do bebê!

Desejo de grávida: existe explicação para o desejo alimentar durante a gestação?
5 (100%) 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *