Entenda o desenvolvimento da gravidez nos três últimos meses

Ausência de menstruação, aumento dos seios, náuseas, sonolência, vômitos, falta ou excesso de apetite e recusa ou forte desejo por determinados alimentos. Esses são alguns dos possíveis sintomas de uma gravidez.

Já nos primeiros meses da gestação, o corpo da mulher sofre mudanças em toda sua forma física, a fim de garantir conforto e a estrutura adequada para receber o bebê, acompanhar seu crescimento, realizar o parto e, futuramente, amamentar. Tudo o que a mãe fizer, comer e beber, refletirá na saúde do bebê que está em sua barriga.

Quer saber quais as principais mudanças no corpo durante a gravidez nos três últimos meses? Acompanhe o post e descubra o que acontece antes de finalmente conhecer o rostinho do seu bebê!

Sétimo mês de gestação

A gravidez nos últimos três meses exige muita paciência e calma da futura mamãe, pois o cansaço aumenta e atividades que antes eram corriqueiras, se tornam verdadeiros e desgastantes desafios.

São notáveis as alterações hormonais durante esse mês, assim como o aumento das dores nas costas devido ao peso da barriga e problemas com gases e hemorroidas, pois o intestino está comprimido.

A grávida também pode apresentar mais ansiedade com relação ao bebê e ao momento do parto, bem como alguns momentos de distração e menor concentração nas atividades em que está realizando.

Sonhos e fantasias sobre o filhote também são comuns nessa fase da gravidez.

Oitavo mês de gestação

Nesse mês, o organismo começa a produzir o colostro (líquido que o corpo produz antes do leite materno) e é também notável aumento das secreções vaginais.

Com o aumento do útero e as contrações mais fortes, a mulher se sente mais cansada, tem dificuldade para respirar e ganha mais peso.

Durante os trinta dias desse mês é natural que se iniciem as contrações de treinamento, pois o copo já está se preparando para o momento do parto.

Nono mês de gestação

Nessa etapa, espera-se que o bebê já esteja em posição cefálica, ou seja, com a cabecinha encaixada na bacia da mãe, para a realização do parto.

Essa posição facilita a respiração da mamãe, mas as idas ao banheiro aumentam, pois a bexiga encontra-se apertada e pressionada.

É preciso evitar longos períodos em pé e investir pesado nos exercícios para controlar a ansiedade, pois uma boa noite de sono é fundamental para corpo e mente sãos!

Aqui, os ossos da bacia começam a se abrir, causando dores tanto na região quanto no púbis e na lombar.

Dicas para um final de gestação tranquilo

Agora que você já conhece as principais mudanças que acontecem nos três últimos meses da gravidez, fique atenta às dicas que separamos para que você enfrente essa última etapa com muita saúde e cheia de felicidade!

1. Invista nos alongamentos

A gravidez nos três últimos meses, corresponde ao período entre 28 semanas e 40 semanas de gestação.

Nessa fase o bebe ganha peso rapidamente e, com a coluna posicionada para trás, as dores lombares são acentuadas e frequentes. Faça alongamentos para aliviar os desconfortos.

2. Pratique atividade física regularmente

Atividades físicas são recomendadas em todas as etapas da gestação, mas nesse período são essenciais para fortalecer a musculatura que sustenta a coluna.

Além disso, os exercícios físicos liberam serotonina (hormônio que atua diretamente no humor) e ajuda a enfrentar os quilos extras.

Caminhadas, hidroginástica, natação e ioga são os mais praticados pelas mulheres nessa etapa da gestação. Mas lembre-se de comunicar ao médico antes de iniciar a prática desses exercícios.

3. Tenha uma alimentação rica em fibras

Uma dieta rica em fibras pode ser a solução para diminuir os gases, pois nessa etapa o intestino fica comprimido e é preciso compensar essa situação.

4. Cuide das pernas

Não assuste se as suas pernas incharem! Com a circulação mais lenta, o resultado quase sempre é o inchaço dos membros inferiores.

O uso de meia-calça de média compressão e a realização de drenagem linfática são recomendados.

5. Observe as contrações de treinamento

Como o momento do parto está perto, a musculatura uterina passa a realizar contrações indolores, as chamadas contrações de Braxton Hicks. Elas são normais e vão ajudar o seu corpo a se preparar para a hora do nascimento.

6. Evite “comer por dois”

A mulher não precisa comer mais porque está grávida. O importante é seguir uma alimentação balanceada e saudável: verduras legumes, frutas, carboidratos e proteínas são aliados de uma boa gestação.

7. Cuidado com os alimentos que podem ser prejudiciais

Alguns alimentos podem representar riscos à saúde do bebê se estiverem contaminados.

Os queijos, por exemplos, só devem ser consumidos se souber a procedência de sua qualidade, preferindo os industrializados, para evitar o aborto espontâneo causado pela Listeriose.

Não coma carne crua ou malpassada, lave bem as verduras, legumes e frutas para eliminar a chance de se contaminar pelo Toxoplasmose.

8. Faça uso de ácido fólico

O ácido fólico é essencial na gravidez! Seu consumo previne problemas congênitos no bebê, como a mielomeningocele e a espinha bífida.

O suplemento deve ser de ingestão diária e pode ser encontrado nas farmácias ou gratuitamente em alguns postos de saúde.

9. Inclua na dieta alimentos à base de Ômega 3

O ômega 3 e as gorduras matutarias dos peixes são indicadas para aumentar o peso, desenvolver o cérebro e o sistema nervoso do bebê no final da gestação.

Consuma sardinha, salmão, truta e arenque. Mas, se você não come peixe, existem suplementos de ômega 3 que podem ser consumidos.

10. Trabalhe os músculos pélvicos

Faça dez contrações lentas e dez contrações rápidas dos músculos do assoalho pélvico, diariamente. Esses exercícios preparam o músculo da região pélvica, facilitando o parto.

11. Nunca se automedique

Não tome medicamentos sem antes consultar o seu médico, isso pode colocar sua saúde e a do bebê em risco.

12. Evite o consumo de cafeína

Café, chá e refrigerantes podem contribuir para a queda de peso do bebe e influenciar problemas na gravidez. Reduza o consumo de cafeína o máximo possível.

13. Não faça uso de cigarro ou bebidas alcoólicas

Se você fuma e bebe, quanto antes parar, mais benefícios para o seu bebê. O consumo destas substâncias está ligado às doenças da síndrome alcoólica fetal e até problemas congênitos mais graves.

Além dos cuidados com a alimentação, o controle do peso e a prática de atividades físicas, é muito importante que as grávidas fiquem atentas à qualidade do sono para garantir a saúde do corpo e da mente.

Porém, durante a gravidez nos três últimos meses, nem sempre é fácil conseguir dormir com o barrigão, não é mesmo? Confira nosso artigo e descubra as melhores posições para dormir bem na gravidez!

Entenda o desenvolvimento da gravidez nos três últimos meses
5 (100%) 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *