Fique atento aos perigos da chuva para as crianças

O banho de chuva é uma das atividades mais divertidas e irresistíveis que existem para qualquer criança. Para as mais pequenas, fica a curiosidade de como toda aquela água cai do céu; para as maiores, uma oportunidade de fazer uma bagunça diferente e sair da rotina normal de brincadeiras.

Verdade é que a chuva é um atrativo para todas as idades e combina com momentos de comemoração, de conquistas, de descontração e de muita farra! Para os mais espiritualizados, a chuva em momentos como a passagem de ano, por exemplo, pode simbolizar renovação e limpeza da alma.

É preciso, no entanto, falar sobre os perigos da chuva. Eles podem vir do céu, ou até mesmo do chão, e você precisa conhecê-los para proteger melhor as crianças nessas circunstâncias. Afinal, cuidar da saúde delas é nosso foco principal. E então, vamos lá?

Períodos de chuva no Brasil

As duas estações mais chuvosas no país são a primavera e o verão, mas ambas apresentam chuvas com características diferentes. Confira!

Características das chuvas de primavera

Essa estação, situada entre duas outras completamente divergentes entre si (precedida pelo frio e secura do inverno e seguida da umidade e calor do verão), é também conhecida como a estação das flores. Isso se dá pela apresentação de clima ameno, propício para a flora mais delicada ganhar força.

É também a estação que eleva os índices pluviométricos do país, originando chuvas pouco intensas, mas constantes e de longa duração. Existem grandes chances dessas chuvas virem acompanhadas de muitos raios; por isso, você deve se manter bastante atento.

Características das chuvas de verão

O verão brasileiro começa em dezembro e termina em março. As variações constantes e rápidas no tempo, características desse período, aumentam também a quantidade de chuvas.

Essas chuvas, que tendem a ser mais presentes nas regiões centro, sul e sudeste do país, são também as mais agressivas e, portanto, perigosas. Geralmente, caem no fim da tarde e são bastante rápidas, mas intensas — é o período marcado pelas enchentes em todo o país. Normalmente, são acompanhadas de rajadas de vento e trovoadas.

Cuidados necessários com as crianças em relação aos perigos da chuva

Os dois tipos de chuva descritos acima possuem diferentes características, mas ambos devem ser evitados. Os perigos da chuva para as crianças estão relacionados tanto ao momento em que elas estão caindo quanto às características do ambiente posteriores a elas.

Geralmente, as tempestades fecham o tempo de uma hora para outra e armam um céu carregado de nuvens escuras; elas chegam tão rapidamente quanto vão embora e podem causar estragos em pouco tempo, com suas fortes rajadas de vento, raios e inundações.

Já as chuvas menos intensas e de duração prolongada, podem parecer mais amigáveis e se tornarem um convite para uma brincadeira; no entanto, é preciso considerar o risco de contaminação da água e a possibilidade de doenças bacterianas e viróticas.

Sabendo disso, entenda os cuidados que devem ser tomados com as crianças:

Durante as chuvas

Saia de locais descampados, arborizados e aquáticos

Os três tipos de ambiente são muito propícios para atração de raios. Evite campos de futebol, quadras, parques, bosques, cachoeiras, piscinas e mar. Não confie totalmente em para-raios porque eles podem falhar. Saiba que ventos fortes podem derrubar árvores mais velhas e causar estragos; se caírem sobre fiação elétrica de postes, podem aumentar o risco choques.

Isso sem citar as chuvas de granizo (gelo). Algumas vezes, as pedras são enormes e, nesses casos, podem ser muito perigosas se caírem sobre as crianças — uma vez que o impacto é bastante forte.

Resumindo, se tiver como abrigar as crianças dentro de casa, melhor. Apenas feche as janelas e mantenham-se longe delas, para evitar que ventos fortes as quebre e machuque os pequenos.

Mas se a tempestade chegar e vocês estiverem dentro do carro, estacione e apenas permaneçam dentro dele. Isso porque o contato que o carro tem com o chão é isolante (borracha dos pneus) e, se acontecer de cair um raio perto de vocês, estarão seguros.

Desligue aparelhos elétricos das tomadas

Os perigos aqui ainda são os raios. Se a rede elétrica que alimenta a sua região for atingida por eles, seus aparelhos podem queimar ou provocar choques graves. Banho quente e videogame para passar o tempo então, nem pensar!

Depois das chuvas

Use sapatos fechados para sair

O perigo das chuvas não vem só do céu; quando a água atinge o chão, é contaminada por todo tipo de fungos, vírus e bactérias provenientes da sujeira das ruas e dos esgotos. Evite que suas crianças tenham contato direto com essa água porque esses microrganismos podem adentrar os poros do corpo humano e provocar doenças.

Evite locais com histórico de inundação

Ainda que a chuva tenha passado, não se arrisque em locais que costumam inundar. Se a chuva recomeçar, de uma hora para a outra, você colocará em risco a saúde e segurança das crianças.

Aguarde a estabilização do tempo para religar aparelhos

A mesma observação vale para o momento de religar os aparelhos elétricos. Aguarde alguns minutos até ter a certeza de que não cairá uma nova pancada de chuva.

Verifique poças de água em locais escondidos

É fundamental verificar a possibilidade de a água ter se acumulado em cantos, garrafas, plantas, calhas etc. Não é novidade para ninguém que esses pequenos poços são um excelente meio de proliferação de insetos que podem transmitir doenças.

Doenças trazidas pela chuva

Por meio da água contaminada

  • Leptospirose: causada pelo contato da pele com urina de rato contaminada pela bactéria leptospira. Sintomas: febre, dores na cabeça, no corpo (principalmente na panturrilha), com agravamento para insuficiência renal, sangramento nos pulmões e morte;
  • Hepatite A: doença virótica que pode ser adquirida pelo contato da pele com fezes de animais. Sintomas: náuseas, dores no abdômen, dor de cabeça, cansaço, febre, falta de apetite, urina escura, fezes claras e coceira no corpo.
  • Febre tifoide: ingestão de águas e alimentos contaminados com a bactéria Salmonella entérica sorotipo Typhi, algumas vezes presente em fezes e urina humanos. Sintomas: febre alta, dores de cabeça, mal-estar, falta de apetite, desaceleração do ritmo cardíaco, aumento do baço, manchas rosadas e tosse seca.

Por meio da água gelada

As crianças que possuem imunidade mais baixa são mais propensas a contraírem resfriados em tempos de chuva. Tosse, coriza e falta de apetite são alguns dos sintomas desses resfriados corriqueiros e fáceis de cuidar.

O risco, no entanto, é o agravamento desse quadro por meio de doenças respiratórias, como bronquites (inflamação dos brônquios) e sinusites (inflamação da mucosa dos seios nasais). Em situações extremas, existem as pneumonias (quadro infeccioso dos pulmões), mais graves e que exigem internação.

Evitar banhos de chuva é uma forma de diminuir as chances dessas doenças em suas crianças. Todavia, se for inevitável, faça questão de que elas não permaneçam com a roupa molhada e tomem um bom banho quente para reequilibrar a temperatura corporal.

Por meio da água acumulada

Mosquitos transmissores de doenças como a dengue, o zika vírus e a chikungunya se proliferam nesses locais e trazem sérios riscos à saúde das crianças. Depois das chuvas, faça uma busca minuciosa no quintal por locais de risco e elimine-os.

Contudo, você ainda pode ver a chuva como uma boa aliada para passar momentos de muita qualidade com as crianças. Aproveite que desligou os aparelhos elétricos e desligue-se também do mundo tecnológico, propondo brincadeiras saudáveis dentro de casa para passar o tempo com elas. Acredite, será divertido para todos!

Se acontecer de as crianças adoecerem mesmo tomando todos os cuidados essenciais, não hesite em procurar suporte médico. Não espere que isso aconteça: previna-se contratando um plano de saúde de qualidade e que caiba no seu orçamento.

E então, gostou do post de hoje? Deixe seu comentário, queremos muito saber a sua opinião!

Fique atento aos perigos da chuva para as crianças
5 (100%) 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *