Gestação tranquila: um passo a passo para os 9 meses

Uma gravidez vem sempre acompanhada de alegrias e alguns medos. Principalmente para as mamães e papais de primeira viagem, receber uma criança e ter responsabilidade sobre sua vida pode trazer algumas inseguranças, mas que são tiradas de letra conforme adquirem experiência. Um dos grandes desejos da mãe, nessa fase, é ter uma gravidez tranquila.

A gestação muda completamente o corpo da mulher, incluindo humor, peso, cabelos e muitos outros aspectos, já que as alterações hormonais não são poucas devido ao fato de se ter uma vida crescendo no corpo feminino.

Durante os meses gestacionais, que duram em média de 36 a 40 semanas, é preciso se preparar e deixar o corpo pronto para que o feto possa se desenvolver e se tornar um bebê saudável. Uma gestação tranquila envolve cuidados especiais mês a mês que você vai acompanhar no post de hoje. Confira nossas dicas abaixo, que estão divididas por trimestre, e comece sua preparação para uma gravidez sem sustos.

1. Os cuidados para uma gestação tranquila nos 3 primeiros meses

O primeiro trimestre de gravidez é o momento de mais cuidado com a mulher e com o bebê. Isso acontece porque, ainda sem saber que estão grávidas, as mulheres podem acabar exagerando no álcool, carregando muito peso ou realizando tarefas que exigem muito esforço. Não se esqueça que esse é um momento de aprendizado e de começar a cultivar os hábitos que devem ser mantidos durante toda a gravidez.

Além disso, os primeiros 3 meses de gestação são os mais críticos em relação a abortos de causas naturais. Apesar de ser um momento triste na vida dos pais, os abortos espontâneos são comuns nas primeiras 12 semanas de gestação pelo simples fato de o corpo rejeitar um embrião que pode não estar bem formado.

Abaixo, você acompanha os cuidados que você precisa ter nesses primeiros 3 meses de gravidez:

Observe os sinais

Os primeiros dias e semanas da gestação podem passar despercebidos muitas vezes. Isso acontece porque a mulher acaba não dando atenção para o atraso na menstruação, acha que o enjoo pode ser por conta de algo que comeu ou simplesmente por tomar a pílula ou se prevenir com preservativos e outros métodos acha que a gravidez não pode acontecer.

Visite o seu médico de confiança ou procure um obstetra

No primeiro mês, no caso de qualquer suspeita, é importante visitar um ginecologista e realizar os exames pedidos por ele. E por falar nisso, se o seu médico já é obstetra, você pode fazer o pré-natal e o parto com ele. Se não for, é hora de começar a procurar um profissional de confiança para dar início à preparação do parto.

Tenha cuidado ao tomar remédios

Aquele analgésico para dor de cabeça ou uma aspirina parecem inofensivos e são tomados normalmente por qualquer pessoa. Esse hábito não pode ser continuado durante a gravidez e é preciso se policiar e se acostumar com isso. Desde o primeiro mês, é preciso ler a bula de todos os remédios que você toma e verificar com seu médico quais são os que podem ser consumidos por gestantes.

Se você toma algum remédio para tratar doenças crônicas ou faz uso de suplementos alimentares, ervas ou vitaminas, contate seu médico e faça uma lista para que ele possa avaliar o que pode continuar sendo consumido.

Corte o cigarro e as bebidas alcoólicas

Já é do conhecimento de todos que o cigarro faz mal para a saúde e, para a gestante, o risco de aborto, parto prematuro e problemas na placenta pode aumentar com seu uso. O cigarro também pode elevar o risco de morte do bebê e prejudicar o crescimento do feto.

O álcool também entra na lista de itens que fazem mal para mãe e bebê: a gestante que consome uma dose de álcool por dia já tem mais chances de ter uma criança hiperativa, com déficit de atenção, além de também poder nascer abaixo do peso e ter dificuldades no aprendizado.

Regule a alimentação

Essa é a fase em que você deve ter em mente que tudo o que é consumido também irá para o bebê. Portanto, dê preferência para aos alimentos naturais como frutas, legumes e verduras, bem higienizados, assim como iogurtes, frutas secas e oleaginosas.

Também é importante ficar longe de alimentos crus ou malcozidos, como peixes, carne bovina, ovo, legumes e frutas, para evitar problemas como a salmonelose a toxoplasmose, que podem afetar mãe e bebê.

Aprenda a lidar com os enjoos

Os enjoos são reclamações frequentes de quem está passando pelos três primeiros meses da gravidez. Para evitar essa situação, tente diminuir o tamanho das refeições e fazer pequenos lanches. Caso isso não seja suficiente, veja com seu médico a possibilidade de tomar algum remédio para reduzir a sensação de fome.

Evite o esforço físico

Pode até ser que em casa você se controle para não fazer esforço, mas você já parou para analisar a situação no seu trabalho? Avalie se a sua função exige muito esforço físico e converse com o responsável sobre a política da empresa para gravidez e como será o processo de licença-maternidade.

Não se esqueça de que pegar pesado pode prejudicar você, causar dores e, muitas vezes, até o um aborto espontâneo, portanto, é melhor maneirar e deixar o serviço puxado para outra pessoa nesse momento.

Descanse

Sonolência, falta de vontade de levantar e cansaço extremo podem fazer parte da sua rotina de sensações nos primeiros meses de gravidez e se estender até a última semana, quando o peso da barriga já anuncia a chegada do novo membro da família em breve.

Portanto, os primeiros meses devem ser de adaptação: durma cedo, regule seus horários, comece a ter uma rotina e curta bastante seus momentos de descanso, já que daqui a alguns meses os horários vão começar a ficar um pouco mais confusos por conta do bebê. Descansar e dar ao corpo o que ele pede é necessário e indicado.

Faça perguntas

Tudo é novo nessa fase da vida: até quem já teve um bebê sabe que cada gravidez é diferente e, por isso, é preciso tirar todas as dúvidas com o médico sobre a sua gestação.

Questione quais são os exames de pré-natal que você fará ao longo dos nove meses, quais são os tipos de parto para que você possa pensar no que for melhor para você, doenças comuns que podem ser adquiridas na gravidez, entre outras dúvidas que acometem as grávidas.

Comece a tomar ácido fólico

Se sua gravidez foi planejada, certamente seu médico já indicou o ácido fólico, que deve começar a ser consumido preferencialmente durante as tentativas de gravidez. Se você ainda não toma, é preciso começar: a substância garante uma gravidez saudável, ajudando na construção do sistema nervoso do bebê e prevenindo lesões.

A administração do ácido fólico deve ser feita pelo seu médico, na dosagem correta para cada organismo.

2. Entre 3 e 6 meses

Essa é a fase em que o crescimento do bebê é mais notável e acelerado. Os órgãos começam a crescer e se prepararem para funcionar fora da barriga da mãe. Então, é bem provável que, neste momento, você comece a sentir o seu bebê se mexendo dentro da barriga.

Acompanhando essa evolução, você também tem algumas tarefas a cumprir com seu corpo e com o planejamento para receber o bebê daqui a alguns meses.

Procure uma atividade física

Se você não é adepto de algum exercício físico, chegou a hora de procurar uma atividade para chamar de sua. Não se esqueça de verificar com seu médico quais são as possibilidades mais viáveis para as grávidas.

Você também pode procurar por aulas especiais para gestantes. Dessa maneira, você tem mais um grupo de mulheres que estão na mesma fase que você e é um ótimo momento para trocar experiências e cuidar do corpo.

Hidroginástica, caminhadas, pilates e até dança são exercícios recomendados, sempre com a supervisão de um profissional para avaliar a intensidade e a execução correta.

Converse a respeito de um multivitamínico

Como os enjoos tendem a reduzir no segundo semestre, seu médico pode receitar um multivitamínico para suplementar a alimentação e garantir as vitaminas para mãe e filho. Dentre as substâncias presentes nesse suplemento está o ferro, essencial para evitar a anemia, muito comum nas grávidas, que tem a produção de sangue aumentada e precisam de mais ferro.

O ferro também é essencial para a formação correta da placenta e para o desenvolvimento do bebê. Principalmente a partir do segundo semestre.

Cuide da sua pele

Sua barriga já vai começar a crescer mais a partir do terceiro mês de gestação. Por isso, comece imediatamente a se preocupar com a pele, já que ela vai se adaptar ao tamanho da barriga e, portanto, podem aparecer estrias na região se não for hidratada corretamente.

O uso de óleos e hidratantes é indispensável e pode amenizar o aparecimento das estrias, assim como evitar a coceira e que a pele fique seca enquanto sua pele é esticada um pouquinho por dia, sinalizando o crescimento do seu bebê.

Saiba mais sobre os exames específicos para o período

Nessa fase da gestação, alguns exames já podem ser feitos para detectar alguns problemas, como má formação e anormalidades genéticas. A amniocentese é um desses exames que pode ser pedido pelo médico caso haja alguma suspeita das condições citadas acima.

Além dos exames de rotina, seu médico também poderá pedir um exame de glicemia, já que muitas mulheres podem apresentar um quadro de diabetes gestacional, que precisa ser controlado caso seja detectado.

O ultrassom morfológico também é outro exame que você fará nessa fase, em que serão medidos todos os órgãos do bebê para saber se ele está crescendo conforme a normalidade.

Comece a pensar nos detalhes

Já que estamos falando sobre uma gravidez tranquila, por que não cuidar também para que você não se estresse com a preparação para receber seu bebê? Afinal, a saúde mental também faz parte de um processo de gestação saudável.

Por esses motivos, comece a pesquisar sobre os nomes do bebês, faça uma lista com seus favoritos, compre roupas especiais e confortáveis para você, organize seu planejamento financeiro e comece a pensar em opções para deixar o bebê depois que você voltar ao trabalho. Isso é muito importante para que, quando ele venha ao mundo, você já tenha um plano para se organizar com a sua vida voltando à rotina.

Também é hora de começar a planejar o quartinho do bebê, para que você não sofra com o barrigão pesquisando móveis no terceiro trimestre. Comece alguma obra que for necessária, procure por preços bons e aproveite para bater perna enquanto pode.

Conheça algumas maternidades

Visite algumas maternidades que são cobertas pelo seu plano de saúde e converse com mães sobre suas experiências ao dar à luz nesses locais. É importante que você decida nesse momento onde será o local do parto e que dê preferência a um ambiente em que você se sinta bem e que seja adequado ao seu orçamento.

Vá ao dentista

Fazer uma limpeza com o dentista é indicado para todas as gestantes. A placa acumulada nos dentes pode causar gengivite, um tipo de inflamação que pode impactar na saúde do bebê, podendo até fazê-lo nascer prematuro. Não se esqueça de avisar ao dentista que está grávida, pois a administração de anestesias e medicamentos deve ser mais cautelosa nesse momento.

Encontre uma boa posição para dormir

Sim, sua barriga vai crescer muito mais até os nove meses. Por isso, no início do quarto mês já é preciso se adaptar para dormir com o barrigão. A posição mais confortável e indicada pelos especialistas é de lado, já que dessa forma você facilita a circulação do sangue e ajuda a reduzir o inchaço. Para que você fique mais confortável, coloque um travesseiro entre as pernas.

3. Os últimos 3 meses

No terceiro trimestre de gestação, o bebê já começa a preparação para vir ao mundo e viver fora da proteção da mãe. Ele, então, já consegue controlar a própria respiração, seu sistema nervoso já tem ligações mais complexas e, devido a isso, ele já começa a reagir mais a alguns estímulos, comportando-se como um recém-nascido.

Para acompanhar toda essa evolução, a mamãe também precisa se preparar para o parto e tomar algumas atitudes com o próprio corpo.

Analise o quanto você aguenta trabalhar

Cada gestante tem um limite que precisa ser respeitado quando o assunto é trabalho: algumas conseguem trabalhar até um dia antes de dar à luz, deixando sua licença-maternidade apenas para depois que a criança nascer. Outras, por outro lado, preferem descansar alguns meses antes para se preparar para o parto.

Analise qual é o seu caso e, se você se sentir muito cansada, não hesite em pedir para entrar de licença no último trimestre. Também é bom conversar com seu médico, explicar como é o seu trabalho, se precisa subir escadas, entre outros detalhes.

Fique do olho nos movimentos do bebê

Certamente os chutinhos e movimentos que o pequeno fará não passarão despercebidos por você. Porém, observe a frequência com que ele se mexe na sua barriga e avise ao médico caso observe que a movimentação diminuiu. Nesses casos, estimule o bebê tomando um copo de água ou comendo um chocolate.

Confirme os próximos exames

Até o oitavo mês, normalmente, os médicos aconselham visitas mensais. No nono mês, são indicadas visitas quinzenais ou semanais até o parto. Os últimos ultrassons também são agendados e são importantes para saber qual é o posicionamento do bebê e se é possível realizar o parto normal. Alguns exames de sangue também podem ser solicitados para avaliar sua saúde.

Exames ligados ao coração, como a cardiotocografia, também podem ser pedidos, para avaliar os batimentos cardíacos, contrações e movimentos do bebê.

Prepare-se com um curso

Existem muitos cursos de pré-natal que preparam os pais para o parto e para a vida depois do nascimento da criança. Alguns hospitais, maternidades e postos de saúde disponibilizam esses cursos, que são excelentes para tirar aquelas dúvidas que você sempre esquece de esclarecer com os médicos e que também podem deixar você mais tranquila em relação aos cuidados com o bebê.

Converse com seu bebê

No último trimestre, o seu bebê ouve e reconhece sua voz de dentro da barriga. Portanto, conversar com ele pode ser uma maneira de estreitar os laços entre vocês antes mesmo de ele nascer. Se você não se sentir à vontade em falar sozinha, leia livros em voz alta: essa relação fará bem para você e para a criança.

Estude muito sobre os tipos de parto

Cada mãe se sente melhor de uma forma: enquanto algumas não têm problema em fazer uma cesariana, outras preferem o parto normal ou natural. Algumas mulheres contratam doulas — mulheres experientes em partos que ficam com as mães na hora de dar à luz, acalmando e ajudando na respiração.

É muito importante ler sobre todos os tipos de parto, avaliar os prós e contras de cada um e conversar com seu médico para esclarecer dúvidas. Afinal, é a sua saúde e seu corpo que estão em jogo na hora de parir.

Conscientize-se de que sua vida vai mudar

Tantos meses de gestação te deixaram acostumada com o barrigão, não é mesmo? Porém, daqui a poucas semanas você estará com seu bebê no colo, portanto, é mentalmente saudável começar a conscientização de que sua vida vai mudar.

Os horários ficarão diferentes, o bebê precisará se alimentar diversas vezes durante o dia e à noite e é preciso ter alguns cuidados básicos que você aprenderá na prática. Porém, quanto mais você ler sobre o assunto e ficar por dentro de como educar e cuidar do seu filho, mais fácil e tranquila será essa missão.

Atente-se às complicações desta fase

Infelizmente, o terceiro trimestre também traz consigo algumas complicações com as quais é preciso ficar atenta. A possibilidade de parto prematuro, por exemplo, pode acontecer a qualquer momento, portanto, é sempre bom ficar com a mala pronta para partir para a maternidade.

Um dos motivos pelo qual o bebê nasce de parto prematuro é a pré-eclâmpsia, condição que afeta os vasos sanguíneos e que pode afetar a placenta e outros órgãos da mãe, impedindo que o bebê cresça. Nesses casos, o médico indica o parto antecipado para mãe e filho não correrem riscos.

Cuidado com a ansiedade

Em uma gravidez tranquila, a ansiedade em demasia deve passar longe. É claro que as mães acabam ficam um pouco ansiosas para ver o rosto de seus pequenos e, muitas vezes, impacientes por estarem com uma barriga grande e desconfortável. Esse sentimento é normal e ótimo para dar aquela adrenalina de vida nova.

Porém, cuidado para não exagerar: ansiedade exagerada pode alterar sua pressão arterial, impedir que você durma bem e te deixar irritada, trazendo malefícios à sua saúde e à do seu filho. Converse com seus familiares, visualize o bebê já no seu colo, converse com outras mães e pratique meditação para fugir dos pensamentos negativos.

Poupe energia para o parto

Seja normal ou cesariana, o parto é um procedimento que vai exigir muito de você e do seu corpo. Durante a recuperação, você vai se dividir entre ficar com a criança e cuidar para que seu organismo volte ao normal depois de parir, o que pode demorar um tempo.

Por essa razão, reduza seu ritmo ao final da gravidez e poupe energia para o momento do parto e também para depois. Beba bastante água, descanse e se prepare para receber um pequeno ser humano que trará grandes mudanças para sua vida.

O momento da gravidez é uma fase especial e inesquecível para qualquer mãe. Assim como você já se preocupa com o bebê antes de nascer, cuidar do corpo durante os 9 meses e ter uma gestação tranquila também são fatores de extrema importância para garantir a sua saúde e a da nova vida que está por vir.

Por isso, fique sempre de olho nas dicas a cada trimestre, siga sempre as orientações do seu médico e procure controlar a ansiedade e o medo: certamente você será uma mãe preparada para cuidar do seu filho da melhor maneira possível!

Agora que você já sabe tudo o que acontece com o bebê, com o seu corpo durante cada mês da gestação e como ter uma gravidez tranquila, leia mais sobre quais atividades físicas são mais indicadas durante essa fase da vida clicando aqui.

Gestação tranquila: um passo a passo para os 9 meses
5 (100%) 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *