Otite em crianças: Como prevenir esse desconforto?

Você já teve que lidar com uma otite em crianças? É possível até que tenha se deparado com esse problema sem o reconhecer.

De repente, a criança começa a se queixar de dor no ouvido, fica mais irritada e com muito menos disposição. Ou então o bebê faz mais manha, chora mais tempo e fica mais abatido. Reconhece esse quadro? Então pode se tratar de uma otite.

Muito comum, especialmente em crianças, essa infecção na região do ouvido inspira cuidados adequados tanto eliminar o incômodo e também para evitar problemas como perda auditiva definitiva.

Além de tratar, também é possível prevenir esse incômodo. Para isso, leia mais sobre o quadro nos parágrafos a seguir e entenda como é possível preveni-lo.

O que é otite e como ela se desenvolve?

A otite é o nome genérico dado a toda a inflamação no ouvido, podendo acontecer de maneira interna ou externa, ou de uma terceira forma chamada de otite média:

A otite externa acontece no canal auditivo externo, que fica “à frente” do tímpano. Geralmente é causada por algum tipo de infecção bacteriana ou alergia na região, sendo mais comum em adultos;

Já a otite interna é conhecida também como labirintite e afeta áreas que são responsáveis pelo equilíbrio. Pode ter causa crônica e geralmente é mais comum em adultos e em idosos;

A otite média, por sua vez, é a mais comum quando se trata de crianças. Ela acontece atrás do tímpano, normalmente devido a um acúmulo de líquido na região. Esse tipo de labirintite geralmente é causado por uma forma de vácuo na região. Quando há algum tipo de infecção, como na garganta, a região do ouvido médio acaba sugando os líquidos presentes, gerando um acúmulo que forma o ambiente perfeito para o desenvolvimento de microrganismos.

Quais os sintomas da otite?

No caso da otite média, o sintoma mais comum é mesmo a dor de ouvido. Geralmente a dor é bastante profunda no ouvido, causando uma sensação de latejo que traz um grande desconforto. Pode acontecer de bebês ficarem segurando as orelhas ou chorarem com mais facilidade, assim como as crianças maiores.

Em alguns casos, o quadro pode ser acompanhado de febre, dores de cabeça e vômitos. Se houver uma espécie de secreção saindo do ouvido, esse pode ser um sinal de rompimento do tímpano, o que pode causar perda auditiva temporária.

Muitas vezes, os sintomas se confundem com a infecção inicial que causou a otite. Assim, muitos pais podem ter dificuldade em notar que a febre é devido a um problema do ouvido, especialmente quando a criança é menor.

Qual o melhor tratamento para o quadro?

O tratamento mais eficaz e mais utilizado é a administração de antibióticos. Ao combater a infecção, as trompas dessa região ficam desobstruídas, o que permite o escoamento adequado do líquido e, portanto, a restauração da saúde auditiva.

Em alguns casos, entretanto, pode ser necessária uma drenagem do líquido, que é feita através de um pequeno corte na membrana do tímpano para que o líquido possa ser retirado. Dependendo do quadro, especialmente em otites recorrentes, é possível implantar um tubo de drenagem que é expelido naturalmente pelo organismo.

Mais raramente é possível realizar uma operação de retirada das adenoides; pequenas glândulas localizadas atrás da cavidade nasal. Esse tipo de operação é feita quando as glândulas favorecem o aparecimento de otite com muita frequência na criança.

Como prevenir otite em crianças?

Embora seja muito frequente entre crianças, essa inflamação pode ser prevenida com algumas medidas simples. Dentre elas, estão:

Limpar corretamente o ouvido da criança

É fundamental que o ouvido da criança seja limpo adequadamente, pois isso evita a proliferação e o acúmulo de bactérias na região média do ouvido.

Apesar disso, é necessário abolir as hastes flexíveis de algodão — os tais cotonetes. Isso porque esse instrumento retira a cera de proteção natural e ainda leva bactérias e microrganismos diretamente para o canal auricular.

O recomendado é que, em casa, seja feita a limpeza apenas da área externa. Limpezas de cera, por exemplo, devem ser feitas com um médico.

Evitar resfriados e infecções

Resfriados, alergias e infecções na garganta são fatores de risco para o aparecimento da otite. Portanto, é princípio básico cuidar da saúde da criança para evitar que se abram essas portas de entrada para a otite.

Evitar a exposição a variações bruscas de temperatura e o contato com crianças doentes, por exemplo, são formas de garantir uma vida livre de infecções. Também é relevante vacinar as crianças contra a gripe, de modo a evitar que a otite surja de maneira oportunista.

Não deixar a criança mamar deitada

Especialmente com crianças mais novas, é importante não deixar que elas usem a mamadeira quando estiverem totalmente deitadas. Essa posição favorece o refluxo de leite para a região do ouvido médio, e isso favorece o desenvolvimento da otite.

Em vez disso, o melhor é que a criança consuma a bebida sentada ou, no mínimo, com algum tipo de apoio que deixe a cabeça mais elevada do que o corpo.

Não expor a criança ao fumo passivo

A fumaça do cigarro pode ser um complicador de problemas respiratórios como a bronquite, rinite e outras alergias. Além disso, ela pode impedir a circulação adequada de ar nas trompas da região, o que favorece a criação do vácuo. Nesse quadro, cria-se um ambiente propício para o desenvolvimento da otite.

Por isso, é muito importante não fumar perto da criança e não deixar que outros o façam. Além de todas as consequências amplamente divulgadas e conhecidas, o fumo passivo é um facilitador para que a otite aconteça.

Proteger o ouvido contra a entrada de água

Especialmente se a criança pratica natação ou qualquer espécie de atividade aquática, é preciso proteger a entrada de água na região. O uso de protetores auriculares específicos, por exemplo, é uma boa solução para o problema.

Esse cuidado evita que água contaminada entre na região e transporte bactérias diretamente para a região do tímpano. Como nem sempre dá para saber as condições sanitárias da água, o melhor é prevenir a entrada no ouvido.

A otite em crianças é um problema bem comum, mas ela pode ser evitada com alguns cuidados simples. Assim, seu filho estará sempre saudável e livre desse incômodo que pode ter sérias consequências.

Ficou com alguma dúvida sobre como tratar e prevenir a otite em crianças? Então não deixe de perguntar, comentando no post!

Otite em crianças: Como prevenir esse desconforto?
5 (100%) 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *