Saiba mais sobre os sintomas da febre chikungunya

Os sintomas da febre chikungunya vêm se agravando na mesma proporção que a doença cresce e se espalha. Assim como a dengue e a zika, a febre chikungunya também é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti, que durante o verão, período com maior concentração de chuvas e sol, é a estação do ano em que os mosquitos encontram as condições ideais para se multiplicarem mais rápido, aumentando o risco de proliferação. Durante esse período, o ciclo de reprodução do mosquito é de apenas seis dias. Enquanto no inverno, chega a durar 12 dias. O alerta é para redobrar os cuidados com os detalhes.  O diagnóstico deverá ser feito por meio de análise clínica e exame sorológico (de sangue). A partir de uma amostra de sangue, os especialistas buscam a presença de anticorpos específicos para combater o CHIKV no sangue. Isso indicará que o vírus está circulando pelo seu corpo e que o organismo está tentando combatê-lo. Uma vez que, a melhor forma para evitar as doenças é combater o mosquito, através da eliminação dos criadouros nas casas, trabalho e áreas públicas. E essa é uma tarefa de todos. 

Os principais sintomas da febre chikungunya são:

  • Febre alta (acima de 39°)
  • Dor intensa nas articulações;
  • Dor nas costas;
  • Dor de cabeça;
  • Erupções cutâneas;
  • Fadiga;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Mialgias;

Os sintomas da febre chikungunya são graves e muitas vezes debilitantes, sendo as mãos e pés mais afetados. No entanto, pernas e costas inferiores frequentemente podem estar envolvidas.

Os sintomas da febre Chikungunya tem uma dor mais intensa do que a dengue e o zika vírus. Além da febre alta, traz uma dor articular muito grande após os cuidados contra a proliferação do mosquito. O indicado é buscar ajuda médica o mais rápido possível, se tiver qualquer um desses sintomas: dor de cabeça, dor no corpo, dor muscular, dor nas articulações, vermelhidão no corpo, mal-estar, ânsia e ou vômitos.

Nos últimos anos os sintomas da febre chikungunya se tornaram mais intensos e novas descobertas foram divulgadas. De acordo com o Ministério da saúde a doença pode deixar sequelas e os sintomas pode permanecer por até dois anos. Assim como os sintomas da febre chikungunya, os tratamentos para diminuir a intensidade dos sintomas também avançaram e diante dessa nova realidade separamos algumas dicas de tratamento e como aliviar os sintomas da febre chikungunya.

Existe tratamento para diminuir os sintomas da febre chikungunya?

Atualmente, não há tratamento específico disponível para a febre chikungunya. Para limitar a transmissão do vírus, os pacientes devem ser mantidos sob mosquiteiros durante o estado febril, evitando que algum Aedes aegypti o pique novamente, ficando também infectado.

É importante apenas tomar muito líquido para evitar a desidratação. Caso haja dores e febre, pode ser receitado algum medicamento antitérmico, como o paracetamol. Em alguns casos, é necessária internação para hidratação endovenosa e, nos casos graves, tratamento em unidade de terapia intensiva. O ideal é assim que aparecer o primeiro sintoma procurar atendimento médico e realizar os exames necessários, quanto mais rápido for o diagnóstico, maior será os cuidados na hora do tratamento que exige além de acompanhamento médico muito repouso.

Como na dengue, pacientes com sintomas da febre chikungunya devem evitar medicamentos à base de ácido acetilsalicílico (aspirina) ou que contenham a substância associada. Esses medicamentos têm efeito anticoagulante e podem causar sangramentos. Outros anti-inflamatórios não hormonais (diclofenaco, ibuprofeno e piroxicam) também devem ser evitados. O uso destas medicações pode aumentar o risco de sangramentos. É importante evitar a automedicação, essa ação pode agravar os sintomas da febre chikungunya.

Alguns alimentos ajudam a diminuir os sintomas da febre chikungunya?

Durante o tratamento aos sintomas da febre chikungunya é aconselhável manter longe de frutas cítricas, como melancias e laranjas. E consumir frutas como as maçãs e bananas em seu lugar. As maçãs são ricas de fibra que limpam o trato digestivo e garante níveis mais baixos de colesterol. Plátanos também contêm fibras, que previnem a constipação e ajudam a manter os intestinos limpos. Alimentos à base de líquidos são excelentes para a recuperação de Chikungunya. Esta categoria contém principalmente sopas, caldos e molhos. Sopas geralmente deve ser feito de feijão, carne magra ou peixe, que deve dar o seu corpo a ingestão de proteína necessário e são alimentos mais leves. Ingerir muito líquido é muito importante, vai ajudar com a hidratação e evitar uma internação assim como ajuda a aliviar os sintomas da febre chikungunya.

A febre chikungunya pode deixar sequelas?

Além dos fortes sintomas da febre chikungunya, a pessoa infectada pode ficar com sequelas graves. Inflamação crônica nas juntas, problemas de visão e até mesmo meningoencefalite, uma espécie de meningite.

A febre chikungunya é mais do que uma simples infecção e nos últimos anos cresceu e se espalhou com muita facilidade tornando o vírus mais resistente e mais difícil de ser combatido.

Além da artrite, o vírus pode causar a miocardite, que é uma inflamação no músculo do coração. Isso faz com que esse órgão vital inche e provoque arritmias graves e insuficiência cardíaca. A febre chikungunya também pode provocar a meningoencefalite, um tipo de meningite que é causado pela infecção na meninge e também no cérebro e pode levar a um rebaixamento neurológico e ao coma.

Como podemos prevenir a febre chikungunya?

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Vigilância em Saúde do governo federal, em 2016 foram registrados 271.824 mil casos de chikungunya no país, um aumento expressivo se comparado a 2015, que teve 36 mil casos.

Segundo o Ministério da Saúde, houve ocorrência de casos em todo o país, mas com maior incidência no Nordeste (235.136 casos) e no Sudeste (24.478).

Diante desse cenário, a melhor forma de prevenir a febre chikungunya é através do combate ao mosquito Aedes aegypti. O mosquito é o transmissor do vírus e suas larvas nascem e se criam em água parada. Por isso, evitar esses focos da reprodução desse vetor é a melhor forma de prevenir a febre chikungunya!

Sabendo disso, veja algumas formas de combate ao mosquito Aedes Aegypti:

  • Evite o acúmulo de água

O mosquito coloca seus ovos em água limpa, mas não necessariamente potável. Por isso é importante jogar fora pneus velhos, virar garrafas com a boca para baixo e, caso o quintal seja propenso à formação de poças, realizar a drenagem do terreno. Também é necessário lavar a vasilha de água do bicho de estimação regularmente e manter fechadas tampas de caixas d’água e cisternas.

  • Colocar areia nos vasos de plantas 

O uso de pratos nos vasos de plantas pode gerar acúmulo de água. Há três alternativas: eliminar esse prato, lavá-lo regularmente ou colocar areia. A areia conserva a umidade e ao mesmo tempo evita que e o prato se torne um criadouro de mosquitos.

  • Coloque tela nas janelas

Embora não seja tão eficaz, uma vez que as pessoas não ficam o dia inteiro em casa, colocar telas em portas e janelas pode ajudar a proteger sua família contra o mosquito Aedes aegypti. O problema é quando o criadouro está localizado dentro da residência. Nesse caso, a estratégia não será bem sucedida. Por isso, não se esqueça de que a eliminação dos focos da doença é a maneira mais eficaz de proteção.

  • Seja consciente com seu lixo

Não despeje lixo em valas, valetas, margens de córregos e riachos. Assim você garante que eles ficarão desobstruídos, evitando acúmulo e até mesmo enchentes. Em casa, deixe as latas de lixo sempre bem tampadas.

  • Uso de repelentes

O uso de repelentes, principalmente em viagens ou em locais com muitos mosquitos, é um método paliativo para se proteger contra a febre chikungunya. Recomenda-se, porém, o uso de produtos industrializados. Repelentes caseiros, como andiroba, cravo-da-índia, citronela e óleo de soja não possuem grau de repelência forte o suficiente para manter o mosquito longe por muito tempo. Além disso, a duração e a eficácia do produto são temporárias, sendo necessária diversas publicações ao longo do dia, o que muitas pessoas não costumam fazer.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre os sintomas da febre chikungunya e a gravidade de contrair esse vírus, pode ficar mais atento na prevenção da doença e melhor preparado no caso se surgir qualquer sintoma. Contar com um atendimento médico completo faz toda diferença. Esteja atento a qualquer mudança climática, possíveis focos do mosquito transmissor e na proteção às picadas do mosquito. Em caso de contaminação procure imediatamente um socorro médico e receba os primeiros cuidados para combater os sintomas da febre chikungunya, conheça mais da nossa rede de atendimento e garanta a sua família uma maior proteção e melhor atendimento médico especializado e completo.

Saiba mais sobre os sintomas da febre chikungunya
Gostou desta matéria?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *