Saiba tudo sobre saúde bucal infantil

As gerações passadas não tiveram acesso fácil a tratamentos dentários e só procuravam o dentista em casos de dor. Os serviços eram muito limitados e a demora no atendimento era desanimador, com isso, a prática da extração de dentes se perpetuou por anos seguidos.

Esse quadro só mudou por volta de 2004, quando o Ministério da Saúde criou o Programa Brasil Sorridente e desenvolveu medidas de promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal, um serviço acessível a todos os brasileiros. O programa promoveu uma melhora da qualidade da água em grande parte das cidades do país e possibilitou a construção dos Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs) ligadas ao Serviço Único de Saúde (SUS), que hoje atende e conscientiza boa parte dos brasileiros.

Até a data do surgimento do programa, cerca de 20% dos brasileiros já havia perdido todos os dentes. Hoje, sabemos que a prevenção é a maneira mais econômica e menos dolorida que existe para se preservar os dentes, porém, são poucos os brasileiros que mantém o hábito de ir ao dentista ou fazem a higienização de maneira correta em casa.

Neste post iremos te ajudar com dicas de prevenção para ter dentes saudáveis e ressaltar a importância dos cuidados com a saúde bucal infantil.

Importância da saúde bucal em todas as idades

Um sorriso perfeito eleva a autoestima e pode abrir muitas portas, tanto no campo profissional, quanto na vida pessoal. Dentes mal cuidados causam desconforto, envelhecem a aparência e baixam a autoestima da pessoa.

Mas cuidar da saúde da boca não se limita à estética, ela é a responsável pela mastigação e articulação das palavras e esse problema se agrava quando há uma má posição dos dentes. Problemas de má oclusão, além de dificultar a fala, favorece a respiração oral e traz consequências como infecções crônicas, amigdalite, rinite e sinusite.

E não é só isso, uma simples cárie não tratada também provoca mau hálito, sangramentos na gengiva e pode até desencadear uma periodontite. Quando não é feita a limpeza adequada, há um aumento de bactérias na corrente sanguínea, o que pode provocar infecções graves e levar a um câncer de boca. Portanto, ter dentes saudáveis contribui para a aparência e a mastigação, além de promover o bem estar geral das pessoas.

Primeira infância

Cheque se a água da sua casa tem flúor suficiente, caso contrário, seu médico pode prescreve suplementos com flúor para o seu bebê.
Mães que levam os filhos ao dentista logo cedo, os casos de cárie podem sofrer redução em até 95%.

E a amamentação é muito importante para a saúde do bebê como um todo, é nessa fase que ele desenvolve a respiração e a deglutição adequadas.

Na hora de introduzir a mamadeira, não adoce com açúcar e tenha o cuidado de limpar a arcada do bebê depois das mamadas.

Quando nascerem os primeiros dentinhos de leite, evite experimentar a comida do seu filho ou deixá-lo colocar os dedos na sua boca, assim, se você tiver alguma cárie, não corre o risco de passar para ele.

Não dê mamadeira ao bebê por um longo período, o único alimento que não provoca cáries é a água. A fase da mamadeira é a que exige mais cuidado, é por causa dela que surgiu a temida cárie de mamadeira.

Quem vai determinar o que o seu filho vai comer é você, portanto, incentive-o a comer alimentos saudáveis. Crie cardápios atraentes e variados na hora das refeições com bastante legumes e frutas, assim ele crescerá comendo um pouco de tudo que faz bem.

Se perceber um dente com uma cor diferente ou dor ao escovar, leve o seu filho ao dentista para dar uma checada se há alguma cárie.

Na adolescência

A melhor maneira para conservar os dentes é adquirindo bons hábitos na infância, mas é na adolescência que os cuidados diários são mais negligenciados e surgem os primeiros problemas dentários.

Os adolescentes são muito ocupados e os seus horários são imprevisíveis. Mas costumam se preocupar muito com a estética, afinal, é uma fase de descobertas e da autoafirmação. A alimentação também não é muito regrada, eles comem muito fora de casa e abusam da comida industrializada, das frituras e refrigerantes.

Nessa idade, a ansiedade e o estresse são fatores que podem desenvolver a Desordem Têmporo-Mandibular (DTM) e essa disfunção leva ao bruxismo (ranger dos dentes). Com o desencaixe das arcadas dentárias surgem os sintomas de dor de cabeça, ouvido e maxilar. Um simples bocejo ou uma abertura de boca no dentista costumam causar muito desconforto.

Na adolescência a dentição permanente já se completou, mas o crânio ainda pode passar por algumas modificações. É muito importante identificar precocemente os dentes inclusos, como os terceiros molares (sisos) e os problemas de má oclusão.

O mal posicionamento dos dentes e o desalinhamento das arcadas dentárias vão muito além da estética, são disfunções que favorecem o mau hálito e as cáries, por isso, exige-se um cuidado maior nos locais onde a escova e o fio dental não alcançam.

Como muitos adolescentes usam aparelhos para a correção dos dentes, a escovação se torna mais rigorosa ainda. Por isso, é imprescindível escovar os dentes no mínimo 3 vezes ao dia e finalizar a limpeza com um fio dental específico para aparelho e bochechos com um enxágue bucal.

Em adolescentes que fumam, com o passar dos anos podem aumentar os casos de gengivite, e se não tratados, evoluem para a periodontite e o câncer de boca.

A bulimia e a anorexia são distúrbios alimentares muito comuns nessa idade e provocam cáries e o desgaste no esmalte dos dentes. Esses transtornos também privam o organismo de algumas vitaminas e enfraquecem os ossos do maxilar, já que não há uma absorção completa dos nutrientes.

O piercing virou mania nessa fase, mas é um corpo estranho e pode causar sangramentos constantes na boca e danos no nervo. É recomendável a visita ao dentista periodicamente para a realização de uma profilaxia e uma limpeza geral.

Uma alimentação sem a ingestão de açúcares, frituras e refrigerantes contribuem para a saúde bucal e o organismo como um todo. Incluir alimentos crus na dieta, como frutas e vegetais, e ingerir cálcio, só traz benefícios para a saúde bucal.

Idade adulta

É um grande desafio chegar à idade adulta com os dentes em perfeitas condições, por isso, intensifique os cuidados preventivos nessa fase. Com o tempo, alguns procedimentos podem se tornar recorrentes e algumas obturações precisam ser restauradas.

Muitas pessoas só se preocupam com os terceiros molares na hora da dor ou quando surge alguma complicação, mas a permanência dos dentes de siso podem desenvolver sérios problemas estruturais na boca. A partir dos 30 anos o siso fica cada vez mais “grudado” no osso do maxilar e isso aumenta muito a incidência de infecções grave. Quanto mais tarde for a remoção, mais complicações o pós-operatório trará.

O uso de coroas, além de melhorar a estética, protege os dentes e fortalece aqueles dentes mais desgastados. Os implantes e as pontes são uma boa solução para preencher os espaços vazios causados pela extração de algum dente.

O tabagismo, como já mencionamos, pode causar problemas de periodontia e gengivite, pois dificulta a cicatrização dos tecidos da gengiva. É também a causa das terríveis manchas escuras no esmaltes dos dentes.

Alguns vícios como tensionar a mandíbula ou empurrar a língua contra os dentes provocam danos no tecido de sustentação dos dentes, e isso pode deixá-los mais frágeis. O hábito de roer as unhas ou morder objetos também podem ser muito prejudiciais para a saúde dos dentes.

É na idade adulta que os dentes mudam de cor e o clareamento é muito procurado. O procedimento pode ser feito no consultório com aplicações a laser, ou em casa durante o sono, com as tradicionais molduras com géis. Mas é melhor fazer uma avaliação prévia, pois o resultado final depende do estado geral dos dentes. Se ocorrer um mínimo de sensibilidade nos dentes o procedimento pode acentuar o desconforto.

No dia a dia, o uso de creme dentais branqueadores deve ser feito por tempo limitado, pois são muito abrasivos e podem desgastar os dentes tornando-os mais sensíveis.

Se até agora você conseguiu conservar os dentes saudáveis, invista em uma alimentação balanceada para manter os dentes fortes e resistentes. Coma alimento crus como frutas e vegetais e não se esqueça dos derivados de leite no cardápio, eles são as melhores fontes de cálcio.

Terceira idade

Chegar aos 60 anos com todos os dentes não é algo impossível, mas a realidade brasileira mostra que estamos longe disso. É preciso adotar uma boa higienização e hábitos saudáveis em todas as etapas da vida, mas é na terceira idade que se agravam os sangramentos e surge a necessidade do uso de próteses. Próteses mal adaptadas, além de desconforto podem causar o aparecimento de tumores. Antes de iniciar qualquer tratamento é preciso fazer um diagnóstico preciso da gengiva e do tecido ósseo.

O envelhecimento geral dificulta o manuseio do fio dental e a escovação, e com isso os casos de gengivite e periodontia podem se agravar. Em vez do fio dental comum, é indicado o uso de aparelhos elétricos ou o fio dental esponjoso com fibras de náilon. Alguns medicamentos antidepressivos e anticonvulsivantes também podem piorar a boca seca nos idosos e aumentar o risco de gengivite.

A ausência dos dentes acarreta uma má mastigação e compromete a digestão, isso acontece porque há um aumento maior da produção de ácido gástrico quando os alimentos não são bem mastigados.

Com a expectativa de vida aumentada, é comum idosos procurarem por tratamentos estéticos. O uso de aparelhos ortodônticos e implantes dentários são os procedimentos mais procurados, mas para isso a estrutura óssea tem que estar bem preservada e o paciente tem de estar em perfeitas condições de saúde.

Saúde bucal infantil

É no período de gestação que tudo começa. A gestante tem que seguir o passo a passo da boa escovação e evitar alimentos doces e gordurosos. As visitas regulares ao dentista são mais intensificadas a partir do terceiro mês de gestação, quando as futuras mamães mais precisam de um diagnóstico dentário mais detalhado.

Se a mãe for criteriosa com seus dentes, isso refletirá na saúde do seu filho. Pesquisas realizadas na Nova Zelândia sugerem que quando a mãe tem uma saúde bucal precária, há uma predisposição maior do filho à cáries severas logo nos primeiros anos de vida.

Outros estudos mostram que se a mãe não cuida dos seus dentes no pré- natal, a criança pode nascer prematura ou com baixo peso. Não só os fatores genéticos e ambientais agravam esse quadro, as condições econômicas e sociais também influenciam muito no estilo de vida das pessoas.

Enquanto o bebê mamar apenas no peito não é necessário tantos cuidados especiais. Mas com a entrada da mamadeira, a preocupação aumenta. É nessa fase que a criança desenvolve a respiração oral, e como a boca fica mais seca, os casos de amigdalite, sinusite e rinite aumentam muito. Cuidados básicos como a higienização com gaze úmida na boquinha do bebê antes de dormir previnem as primeiras cáries.

Quando nascem os primeiros dentinhos de leite, as mães devem estar no comando e introduzir a escovação com uma escova infantil macia e água. Evite a pasta de dente nessa fase por causa do flúor, pois a criança pode engolir e se intoxicar.

A partir dos 7/8 anos começa a troca de dentes e as crianças já têm alguma coordenação motora e podem escovar sozinhas, mas a supervisão de um adulto ainda é necessária. É muito difícil para uma criança manusear o fio dental e nessa parte os filhos precisam de ajuda. A língua também deve ser escovada para evitar o mau hálito.

Prevenção e cuidados

Prevenção é a palavra de ordem para se conseguir dentes saudáveis no futuro, para isso, é preciso adotar algumas medidas básicas na primeira infância:

1. Pais conscientes tem o hábito de ir ao dentista regularmente e ensinam seus filhos as boas práticas de higienização, dessa forma eles se disciplinam e passam a ter uma rotina.

2. É a partir dos 6 meses, quando surgem os primeiros dentes de leite, que as mãe devem levar o bebê pela primeira vez ao odontopediatra. É também o momento em que as mães devem introduzir a escovação, mais indicado é usar uma escova macia de pontas arredondadas e água.

3. A orientação dos pediatras é a remoção da mamadeira a partir dos 2 anos, mas não faça nada de maneira brusca. Durante a transição é preciso alternar o copo de biquinho com o copo normal, insista até que criança se acostume e abandone de vez a mamadeira.

4. A retirada da chupeta é uma das coisas mais difíceis para os pais, o melhor é retirá-la até os dois anos de idade e de forma gradual, caso contrário, a criança pode trocar a chupeta pelo dedo e desenvolver problemas na arcada.

5. Na hora de preparar as refeições dos pequenos, evite bater todos os alimentos no liquidificador. Prefira amassá-los e opte por alimentos consistentes como a carne, frutas e vegetais que estimulam a mastigação. Dessa forma, a criança estará desenvolvendo os músculos da boca e a arcada dentária.

6. A alimentação é muito importante para ter dentes fortes e saudáveis, o ideal é não oferecer refrigerantes, alimentos gordurosos e doces ao seu filho. Ensine o seu filho a comer alimentos saudáveis no dia a dia e abra uma exceção para os doces apenas na sobremesa.

7. É na infância que os tombos são mais frequentes e podem resultar em traumas na boca. Tanto faz se os dentes sejam de leite ou permanentes, se acontecer, corra com a criança para o dentista e leve o dente junto. É abaixo dos dentes de leite que as raízes dos dentes permanentes serão fixadas, por isso é preciso evitar a ocorrência de acidentes nessa fase.

8. Com a ida da criança par a escola os pais já não tem como controlar o que eles comem, é lá eles que eles irão se socializar e querer experimentar o lanche do coleguinha. Mas você não pode relaxar, mande o lanche de casa com frutas, sucos e alimentos integrais. Mas se mantenha firme e reforce a atenção na última escovada do dia.

9. Converse com o dentista do seu filho sobre a aplicação do selante, ele cria uma camada plástica na superfície dos dentes e protege contra as cáries.

Vantagens de uma prevenção bem feita

Um sorriso perfeito abre portas e deixa a pessoa mais confiante e feliz. Portanto, se sentir algum sintoma que cause desconforto na boca, faça uma avaliação com um especialista e descubra se há a necessidade do uso de aparelhos de correção.

Procure fazer a limpeza em até 30 minutos depois de fazer as refeições, saiba que para uma escovação completa bastam apenas 2 minutinhos de dedicação. E capriche na escovação noturna, é de noite que a temperatura da boca aumenta e a salivação diminui, isso faz com que aumente a acumulação de bactérias.

Faça um check-up da boca com um especialista sempre que perceber sangramentos, assim os problemas mais graves como a perda óssea e o câncer de boca podem ser prevenidos.

Incentive seus filhos a gostar de se cuidarem

Na hora de comprar a escova leve o seu filho junto e mostre os modelos coloridos e em formato de bichinhos. Isso fará com que ele se anime e se sinta importante.

Escovar o dentes das crianças não é uma tarefa fácil, afinal, até os quatro anos de idade elas não entendem a necessidade da higienização. Cabe aos pais explicar e conversar de maneira que eles possam entender e assimilar a informação. Você pode criar um ritual com música na hora da escovação, enquanto ele escova, você canta. Com certeza vai ser uma diversão!

Invente historinhas onde estejam presentes a figura da escova, dos dentes e da dentadura, assim você aproveita e explica o que acontece quando o dente não é cuidado. Você pode mostrar filmes animados onde os personagens vão ao dentista, escovam os dentes, comem alimentos saudáveis, etc.

Procure na internet vídeos e fotos de dentes mal cuidados e mostre ao seu filho, dessa forma, ele verá o que acontece quando não se escova os dentes, mas cuidado com as fotos muito chocantes.

Você pode dar o exemplo escovando os dentes junto com o seu filho e aproveitar o momento para ensiná-lo a forma correta de higienização. Só não se esqueça de elogiá-lo e demonstrar o quanto está feliz com o progresso dele.

Muitas mães perdem a paciência quando as crianças desobedecem na hora de escovar os dentes, mas evite bater ou gritar se o seu filho se recusar em atendê-la. Ele pode associar a escovação à agressão e desenvolver a aversão por esse momento. Medidas extremas só irão acarretar problemas no futuro.

Dicas e práticas para a vida toda

Nunca é demais reforçar que ir regularmente ao dentista e respeitar as três etapas da limpeza diária é a melhor maneira de conservar os dentes. Portanto, invista na escovação, fio dental e faça longos bochechos.
Para uma boa higienização não é preciso usar a força na hora da escovação, os movimentos têm de ser suaves e circulares. O correto é usar a escova na posição diagonal nos dentes dos cantos, na horizontal na superfície, e vertical nos dentes da frente, tanto embaixo, quanto em cima.
É muito importante o uso do fio dental, ele entra onde a escova não alcança e remove a placa bacteriana que impede a formação do tártaro.
Com o tempo, os dentes ficam mais sensíveis devido à retração da gengiva. A ingestão de alimentos muito ácidos tendem a desmineralizar os dentes e provocar dor. Adote uma alimentação rica em cálcio e elimine o açúcar da sua alimentação.
Coma nas horas certas e nunca durma sem escovar os dentes, o seu estilo de vida vai determinar o futuro da sua saúde bucal.
Se você ainda tem medo ou se incomoda com o barulho do motorzinho, saiba que com os avanços tecnológicas é possível usufruir de tratamentos cada vez mais modernos e conseguir relaxar na cadeira do dentista. Quando se trata da saúde bucal infantil, o melhor é adquirir um convênio ou plano de saúde que mais se adapte às necessidades do seu filho. Cuide com carinho de quem você gosta!

Se você gostou do nosso artigo, compartilhe nas redes sociais!

Gostou desta matéria?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *