Conheça os sinais que indicam um desequilí­brio na tireoide

A glândula tireoide é localizada na parte anterior do pescoço, logo abaixo do Pomo de Adão, ela é responsável por regular funções de importantes órgãos, como o coração, o cérebro, o fígado e os rins, e ainda produz os hormônios T3 e o T4. Esses hormônios são os responsáveis pelo metabolismo do corpo, ou seja o modo como o organismo armazena e gasta energia. Controla também, o armazenamento e a utilização de iodo e cálcio.

Quando a tireoide não funciona de maneira correta, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente, causando o hipotireoidismo,  ou em excesso, ocasionando o hipertireoidismo. Nessas duas situações, o volume da glândula pode aumentar, o que é conhecido como bócio.

Saiba quais são os sinais que indicam um desequilíbrio da tireoide

Estado de ânimo

As alterações a nível emocional são muito comuns em pessoas com desequilíbrios na glândula da tireoide. No caso do “hiper”, elas se relacionam com a ansiedade, ataques de pânico, estar sempre a mil por hora e ter dificuldade de concentração.

Problemas intestinais

As pessoas que tem hipotireoidismo podem apresentar problemas de prisão de ventre, porque as mudanças na produção hormonal causam a desaceleração dos processos digestivos.

Sistema reprodutor

As mulheres com hipotireoidismo têm ciclos menstruais mais extensos e dolorosos, também podem sofrer de infertilidade e desequilíbrios hormonais (como a TPM). Em ambos os sexos, ocorre a diminuição da libido (apetite sexual).

Cabelo e pele

Se o seu cabelo estiver muito seco, quebradiço ou cair em excesso, e a sua pele estiver seca e as unhas estiverem frágeis, isso pode esta ocorrendo por um mau funcionamento da glândula da tireoide.

Colesterol

No caso do hipotireoidismo, os níveis de LDL ou HDL são elevados, mesmo ao fazer dieta. No caso do hipertiroidismo, as pessoas costumam ter percentuais baixos e incomuns de colesterol.

É possível prevenir os problemas com a glândula da tireoide?

Existe exames de triagem para os recém-nascidos que podem detectar o hipotireoidismo congênito (uma doença hereditária que impossibilita a glândula tireoide do recém-nascido gerar o hormônio tireoidiano T4, o que resulta em uma redução generalizada dos processos metabólicos).

Para os adultos deve-se fazer o autoexame apalpando a região do pescoço, mas ele só detecta alterações muito avançadas de hipertireoidismo. Por isso, é essencial procurar um médico endocrinologista caso tenha algum dos sintomas. Assim, ele pedirá exames e terá certeza em relação a qualquer problema.

Existe uma predisposição a ter problemas de tireoide?

São três os fatores de risco que aumentam as chances de sofrer desequilíbrios na glândula da tireoide:

  • A história da família
  • Sexo e idade (mais comum em mulheres e em pessoas com mais de 40 anos)
  • Tabagismo (o cigarro contém componentes tóxicos e nocivos para a glândula)

Embora as mulheres tenham mais problemas com a tireoide e mais intensamente durante a menopausa, os homens não estão livres do desequilíbrio hormonal. Portanto faça exames de rotina para verificar o funcionamento da tireoide e detectar possíveis problemas.

Fonte: melhorcomsaude.com
Fonte: endocrino.org.br

Faça parte das nossas redes sociais, FacebookTwitterGoogle plus.

Comente e compartilhe nossas noticias sobre saúde e bem estrar  😉

Conheça os sinais que indicam um desequilí­brio na tireoide
5 (100%) 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *