Você sabe a importância do leite materno para o neném?

A amamentação é fundamental para a saúde e para o bem-estar do bebê. Até o sexto mês de vida, o leite da mãe supre todas as necessidades alimentares do recém-nascido – tanto é que a criança não precisa ingerir sucos, chás e nem mesmo água. Isso ocorre porque o leite materno é considerado um alimento completo. Possui vitaminas, minerais, açúcares, gorduras, além de fatores imunológicos como glóbulos brancos e anticorpos.

Não bastasse todos os benefícios fisiológicos que o ato de amamentar traz consigo, ele também carrega uma importância emocional, visto que é nesse contato entre mãe e filho que a relação materna se intensifica. É esse momento que proporciona o desenvolvimento afetivo entre a mulher e seu bebê.

Nesse post, você entenderá melhor qual a importância do leite materno para o neném e como esse alimento é fundamental para o desenvolvimento da criança. Não deixe de conferir!

A amamentação e o desenvolvimento fisiológico do bebê

A amamentação faz toda a diferença na vida da criança e traz vários benefícios tanto para o neném quanto para a mãe. A importância da amamentação para o desenvolvimento infantil começa no próprio ato de mamar, que melhora a flexibilidade das estruturas relacionadas à fala, à mastigação e à deglutição, favorecendo também o correto desenvolvimento da respiração nasal do bebê.

O movimento estabelecido durante a sucção do leite materno é excelente para estimular o desenvolvimento dos ossos do crânio e da face da criança. Esse fato faz com que o alinhamento da dentição ocorra de forma adequada.

As crianças que são amamentadas desenvolvem mais rapidamente o cérebro, o que possibilita maior desempenho cognitivo, como maior capacidade de aquisição de vocabulário e de raciocínio.

Outro benefício da ingestão do leite da mãe para os bebês é que ele possui fácil digestão e protege contra cólicas. Além disso, a ingestão de leite materno evita que o neném desenvolva anemia, já que ele supre as necessidades de ferro do organismo.

No caso de crianças prematuras, o leite materno precisa ser administrado para que o recém-nascido possa desenvolver melhor todos os seus sistemas, ainda imaturos.

A importância do leite materno para fortalecer o sistema imunológico

A complexidade da amamentação para o desenvolvimento humano é tão grande que nenhuma formulação artificial pode substituir os benefícios que são proporcionados pela lactância. A produção de uma fórmula que inclua todos os fatores bioativos presentes no leite materno seria tão cara que ninguém conseguiria desenvolvê-la em laboratório.

O leite produzido pela mãe varia em quantidade e em sua composição para se adaptar ao desenvolvimento do bebê. No início do período da amamentação, cada seio produz diariamente cerca de 450 g de leite. Ao longo de quinze meses, a produção diária de leite em cada seio cai para 200 g.

Uma das funções básicas do leite materno é ajudar a formar o sistema imunológico do bebê. Sabe-se que a quantidade de anticorpos maternos presentes no leite é muito maior no primeiro mês de vida do bebê. Depois de alguns meses, a criança começa a desenvolver o seu sistema imunológico e a porcentagem de anticorpos maternos no leite decresce em 90%.

O colostro é o primeiro leite produzido após o parto, sendo considerado a primeira vacina da criança, pois possui inúmeros fatores de defesa para o organismo do recém-nascido.

O aleitamento materno é capaz de reduzir a mortalidade infantil por diminuir os riscos de alergias e doenças respiratórias, evitar a desnutrição e a obesidade infantil. Descoberta recente indica que o leite materno possui também bactérias que são essenciais para a formação da flora intestinal do bebê.

Introduzir alimentação complementar nos primeiros meses de vida da criança aumenta os riscos de contrair infecções que causam diarreias, além de poder culminar na interrupção da produção de leite pela mãe.

A relação entre amamentação e o desenvolvimento emocional do neném

O aleitamento materno possui também grande importância para criar um vínculo saudável entre a mãe e o bebê. Sabe-se que a ligação emocional com a mãe é um fator que influencia bastante o desenvolvimento do relacionamento interpessoal da criança.

O ato de sucesso do bebê durante a amamentação provoca a liberação do hormônio ocitocina no organismo da mãe. Esse hormônio, conhecido como o hormônio do amor, ocasiona sensações de euforia e aumento de tolerância à dor, o que facilita a ligação afetiva com a criança.

Nos primeiros momentos após o parto é que são liberados os maiores níveis de ocitocina no organismo materno, durante as mamadas. O contato entre mãe e filho nessa hora, em especial, é um fator crítico para o estabelecimento do vínculo afetivo.

O contato pele a pele, o toque e o cheiro da mãe fazem com que o bebê se sinta acolhido e seguro. Além da necessidade física do leite materno, a criança possui uma necessidade emocional que precisa ser suprida, precisando de amor e afeto.

As carícias da mãe durante a amamentação proporcionam no bebê intensa sensação de prazer e aceitação, que são fundamentais para a autoestima da criança. Amamentar é um ato natural, sendo a melhor maneira de não só alimentar o seu neném, como também de protegê-lo e amá-lo.

Dessa forma, o leite materno é um alimento completo para nutrir a criança e é essencial para que ela possa desenvolver vários aspectos de sua fisiologia, como a respiração, a fala e a cognição.

Por conter bactérias do organismo da mãe, o leite auxilia na formação da microbiota intestinal do bebê, evitando o aparecimento de diarreias. Os anticorpos e glóbulos brancos presentes no leite materno possuem papel fundamental para proteger a criança contra infecções, alergias e outras doenças.

Além da importância do leite para aspectos físicos e cognitivos, a amamentação é também essencial para o desenvolvimento emocional do bebê, já que a proximidade proporcionado pelo momento de amamentação reforça os laços maternos entre a criança e sua mãe.

Agora que você já sabe os benefícios do leite materno e a importância de amamentar o seu neném, leia o nosso e-book Guia da vacinação infantil: quais e quando tomar? para aprender mais sobre cuidados com a saúde infantil.

Gostou desta matéria?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *