Você sabe o que é parto humanizado?

A gravidez é um momento de grandes mudanças e de novas descobertas para as mulheres. Além da responsabilidade sobre uma nova vida, as gestantes passam por uma mudança geral, tanto física quanto psicológica. O parto é uma dessas experiências que fazem parte da maternidade e que, em muitos casos, é um dos momentos mais temidos pelas mulheres. Porém, o parto humanizado é um dos métodos que traz o controle para a mulher e a ajuda a ficar mais tranquila no momento de parir.

No post de hoje, vamos explicar a fundo o que é o parto humanizado, quais são seus benefícios para as mulheres e para seus bebês e os fatores que o diferencia do parto normal. Continue sua leitura e saiba mais sobre essa maneira humanizada de dar à luz respeitando seu corpo e suas vontades.

O que é o parto humanizado?

O parto humanizado vem de um conceito de que dar à luz é algo natural e sempre será para as mães. Por isso, é preciso fazer desse momento um ato de maior ligação entre mãe e bebê, respeitando sempre a fisiologia feminina.

Preservando esse conceito, o parto humanizado consiste em realizar o processo de nascimento da criança de maneira natural, levando em conta as decisões da mulher e com o menor número possível de intervenções médicas. Ele pode acontecer em uma banheira, em casa, no hospital ou em qualquer outro lugar que a mulher se sentir mais confortável.

Ao escolher o parto humanizado, a mulher tem suas vontades totalmente acatadas na hora de parir. Ela pode escolher o local onde deseja dar à luz (se a gravidez for de baixo risco) caminhar o quanto quiser, se alimentar e, assim que o bebê nasce, é amamentado imediatamente, para estreitar os laços entre mãe e bebê: o que importa no parto humanizado é a saúde de mãe e bebê e a experiência de parir.

Como ele acontece?

Atualmente, a mulher pode escolher o parto humanizado inclusive em nascimentos feitos pela rede pública de saúde. Se o médico que acompanha a gestação julgar que o parto oferece baixo risco de complicações à mãe e o bebê, o processo então pode ser realizado. Então, a mulher pode escolher se quer parir no hospital, na própria cama, na água ou em outro ambiente que se sinta mais confortável e rodeada por pessoas que ajudem a passar tranquilidade.

O trabalho de parto começa a partir do momento em que a bolsa estoura. Desse momento em diante, a mulher passa as horas sentindo as contrações e espera até que chegue o momento de parir naturalmente. Também é possível tomar analgesia, porém, fica a cargo da mulher decidir se deseja ou não fazer uso do medicamento para aliviar as dores das contrações.

A mulher também pode escolher profissionais especializados no parto humanizado para acompanhá-las no momento de parir, como enfermeiras especialistas e doulas, acompanhantes conhecidas por dar suporte emocional às gestantes, responsáveis por oferecer conforto físico e psicológico durante todo o trabalho de parto, na hora do nascimento e no pós-parto.

Qual é sua diferença com o parto normal?

Apesar de chamado “normal”, este tipo de parto pode sofrer intervenções médicas, como a retirada da criança com fórceps (instrumento para auxiliar a saída do bebê quando as condições para o parto normal começam a interferir em sua saúde), enfim, pode haver intervenção médica mesmo quando o parto é considerado de baixo risco.

A principal diferença entre o parto humanizado e o normal é a caracterização do momento em sua natureza de humanos, não tendo intervenções médicas e respeitando a vontade das mães. O parto humanizado também não tem hora para acontecer, iniciando-se a partir do momento em que a bolsa estoura até quando o bebê nasce naturalmente. No parto normal, é possível induzir a saída do bebê e realizar procedimentos para auxiliar o processo, como o corte do períneo e o uso do fórceps, tudo realizado por decisão médica.

Quais os benefícios do parto humanizado?

Os adeptos e entusiastas deste tipo de parto acreditam que ele estreita relações entre mães e filhos desde o começo de seu relacionamento. Existe também o fator de não haver recuperação de nenhuma cirurgia, tampouco da episiotomia (corte do períneo), trazendo uma possibilidade maior de a mãe poder ficar com o bebê já em seus primeiros dias de vida, sem precisar se recuperar de nenhum processo cirúrgico.

Para o bebê, as vantagens também são inúmeras, já que este tipo de nascimento traz maior tranquilidade para a criança, amenizando os traumas que elas podem sofrer ao ter seu nascimento feito em horário marcado ou com intervenção médica.

A cesárea ou o parto normal com intervenção médica podem ser humanizados?

É possível que o parto feito através de cesariana possa ser mais humanizado, assim como o parto normal com intervenção médica. O parto humanizado depende da situação da saúde de mãe e bebê, por isso, nada impede que o médico que realize os partos de outras formas não seja adepto de um procedimento que respeite as decisões da mãe.

A cesárea existe para salvar a vida da mãe e do bebê, caso alguma das duas esteja em risco, portanto, deve ser realizado em último caso. A Organização Mundial da Saúde recomenda que o parto cesárea deve ser realizado em uma média de 16% no país. No Brasil, 56% dos nascimentos de bebês acontecem por este tipo de parto, um número alto que pode vir de uma falta de informação e até de insegurança das mulheres em sentirem dor ou medo de que a saúde dos filhos fique prejudicada.

O parto humanizado vem ganhando cada vez mais adeptas que desejam transformar esse momento em muito mais que uma intervenção cirúrgica em um hospital, mas sim deixar os laços entre mãe e bebê mais fortes desde os primeiros momentos de vida fora da barriga. É muito importante se informar sobre os procedimentos, verificar com o médico sobre sua saúde e a do bebê e levar em consideração optar pelo parto humanizado. Esta pode ser uma experiência única, profunda e de extremo contato com seu corpo e com o bebê.

Agora que você já sabe mais sobre o parto humanizado, que tal conhecer alguns alimentos que podem aliviar os enjoos durante a gravidez?

Você sabe o que é parto humanizado?
5 (100%) 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *