Saiba quais os principais cuidados com os dentes de leite.

Cuidar da saúde da boca e dos dentes deve ser prioridade em qualquer fase da vida.

Os cuidados com os dentes de leite nos primeiros anos das crianças são essenciais.

A presença dos dentes de leite é muito importante, pois prepara o caminho para o nascimento dos dentes permanentes.

Os dentes de leite também ajudam a manter o equilíbrio do crescimento das estruturas da face, dentes, ossos e músculos e proporciona uma mastigação e deglutição adequadas dos alimentos.

Cáries não tratadas nos dentes de leite podem levar à infecção e à má formação do dente permanente.

Além disso, crianças esteticamente comprometidas possuem dificuldade de comunicação e integração social.

Nesse post você vai entender melhor cada fase e os principais cuidados com os dentes de leite.

Primeiros cuidados com os dentes de leite.

Especialistas afirmam que as crianças devem freqüentar o consultório a partir dos dois anos de idade.

Isto é importante para o profissional ter a oportunidade de acompanhar o crescimento e o desenvolvimento dos dentes de leite, que não podem ser desprezados, pois podem evitar futuros problemas bucais.

É importante motivar e ensinar a criança a escovar os próprios dentes e passar o fio dental desde pequena, pois dessa maneira, ela desenvolve um sentimento de responsabilidade pela saúde oral.

Os pais também devem acompanhar de perto o nascimento e desenvolvimento dos dentes de leite.

Até os seis anos de idade, porém, a criança não tem coordenação e responsabilidade suficiente para realizar uma escovação eficaz e disciplinada.

Por isso, é importante o acompanhamento dos pais até que ela aprenda sozinha.

É essencial dar atenção aos chamados dentes de leite, que são 20 ao todo, dez em cada arcada, porque eles podem evitar muitos problemas no futuro, como a cárie, por exemplo.

É falsa a idéia de que os dentes de leite não precisam ser cuidados, pois a saúde dos dentes definitivos depende muito de como foram os cuidados com os dentes na infância. Dentes temporários mal cuidados e estragados podem causar sérios danos aos dentes permanentes.

O desenvolvimento dos primeiros dentes de leites.

Os primeiros dentes de leite a nascer são os incisivos centrais inferiores, por volta dos 6 meses de idade.

Já próximo do primeiro ano de vida nascem os incisivos centrais superiores e os laterais. Por volta dos 18 meses nascem os primeiros molares de leite, e aos dois anos e meio, em média, nascem os dentes de leite fica completa com os caninos e segundos molares, completando os 20 dentes que constituem a dentição de leite.

Embora os casos de não formação dos dentes de leite sejam muito raros, podem ocorrer de forma parcial ou total.

Existem também bebês que podem apresentar algum dente já ao nascimento ou poucos dias depois de nascer, chamado de dentes natais ou neonatais.

É fundamental que um odontopediatra avalie seu filho, pois vários aspectos precisam ser considerados.

Se o dente apresentar mobilidade, existe o risco de o bebê inspirá-lo, sendo assim indicada sua remoção.

Caso não possua mobilidade, o dente poderá ser mantido, devendo os pais se preocupar com a higienização rotineiramente.

Também ocorrem casos de o dente erupcionar levemente “torto”, ou girado, o que poderá se normalizar naturalmente, conforme a estrutura facial do bebê cresça para acomodar os dentes em erupção ou com os lábios e língua.

Sintomas comuns no nascimento do dentes de leite.

O nascimento dos dentes é uma ocorrência natural e fisiológica.

Porém, alguns distúrbios podem aparecer nesse período, mas nem sempre estão relacionados com o nascimento dos dentes de leite.

O que pode ser observado nos bebês são irritabilidade, salivação aumentada, febre, diarreia, gengivite, redução do apetite, erupções cutâneas, tosse e vômitos, corrimento nasal, apatia e perturbações gastrointestinais.

Ocorrem sintomas como a “coceira” gengival, devido à pressão dos dentes na gengiva, deixando a criança irritada, chorosa e com sono agitado.

Nessa fase o bebê passa a ficar mais tempo com os seus brinquedos pelo chão e acaba colocando a mãozinha na boca mais vezes por causa do desconforto gengival.

Esta pode ser a causa das diarreias, vômitos e febre.

Também é comum o bebê começar a babar nessa época.

Essa salivação excessiva pode estar relacionada ao incômodo no nascimento dos dentes de leite e também à maturação das glândulas salivares, que ocorre por volta do sétimo mês de vida, e que aumentam sua viscosidade e dificulta que o bebê engula toda a saliva produzida.

Esses sintomas são temporários e podem desaparecer em algumas semanas, assim que os dentes irrompem na cavidade bucal.

O importante que os pais compreendam esse processo, fiquem calmos e tomem as medidas necessárias para que as crianças passem por isso sem grandes agitações.

Como aliviar o desconforto dos dentes de leite.

Oferecer mordedores é a melhor opção para trazer alívio para a “coceira” gengival, podendo ser colocado na geladeira antes para que o frio tenha uma ação calmante sobre a gengiva irritada.

Caso o bebê não aceite os mordedores, uma fralda de pano molhada com o suco que ele gosta e gelado pode ser uma saída.

Também pode ser usada uma dedeira para massagear a gengiva ou a introdução de alimentos mais duros.

O uso de pomadas com anestésicos locais podem aliviar os sintomas, bem como o uso de analgésicos em algumas situações bem específicas, sempre com o acompanhamento de um odontopediatra ou pediatra

Higiene dos dentes de leite.

Com o início do nascimento dos dentes de leite, os pais devem ter muita atenção com a higiene bucal do bebê.

Pode ser usada uma gaze ou fralda embebida em água filtrada pelo menos três vezes ao dia nos dentinhos, gengiva, bochecha e língua.

Já no nascimento dos molares de leite, os dentes posteriores, é importante introduzir o uso de uma escova dental com cabeça pequena e cerdas bem macias para limpar as superfícies dentárias.

Não se recomenda o uso de cremes dentais com flúor, pois a deglutição de flúor pode ser tóxica para o bebê.

A amamentação começará a ser aos poucos reduzida, após a última mamadeira da noite, deve-se higienizar os dentinhos, estabelecendo essa rotina antes de dormir.

É mais comum do que se imagina ocorrerem as “cáries de mamadeira”, pois a noite a salivação é menos intensa e portanto os dentes ficam mais desprotegidos com a diminuição de saliva.

Um dente que acabou de nascer, mesmo os permanentes, não está totalmente mineralizado e está mais susceptível a processos de cáries, por isso, merece muito mais cuidado.

É aconselhável evitar contatos salivares com beijinhos na boca, assoprar o alimento ou usar a mesma colher do bebê.

As bactérias da cárie são transmissíveis e a chegada dos dentes possibilita sua instalação

 

Agora que você já conhece mais dicas sobre o cuidados com os dentes de leite pode estar atento aos sintomas e higiene do seu bebê.

Não esquecendo que é importante o acompanhamento de um especialista para que, ao sinal de qualquer problema o odontopediatra possa ajudar e indicar o melhor tratamento.

Saiba quais os principais cuidados com os dentes de leite.
Gostou desta matéria?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *